Reuniões podem tornar você menos inteligente (temporariamente)

Preocupar-se com sua reputação diante de um grupo pode alterar seu QI, diz pesquisa

São Paulo – Apesar de todo preparo prévio, você já “travou” em uma reunião importante para sua carreira  e não conseguiu emitir nenhuma opinião ou apresentar informações de uma maneira segura?

Se sim, atenção: você pode fazer parte do grupo de pessoas que se tornam menos inteligentes quando estão diante de grupos pequenos.

Isso mesmo. De acordo com uma pesquisa recente do Virginia Tech Carilion Research Institute, algumas pessoas podem perder temporariamente sua habilidade para solucionar problemas, ou ter  a expressão do seu quociente de inteligência (QI) alterada, quando diante de um grupo que elas mesmas consideram mais inteligente.

Para chegar a essa conclusão, a equipe de pesquisadores dividiu 70 pessoas, que apresentam elevados índices de QI, em 14 grupos. Cada um dos participantes da pesquisa teve que responder 92 questões.

Enquanto eram submetidos a exames de ressonância magnética, duas pessoas de cada grupo também recebiam informações sobre o próprio desempenho com relação ao grupo.

Ao saber que tinham uma performance inferior a de outros membros do grupo, essas pessoas apresentaram um rendimento pior.

“O status social é uma variável importante nas interações grupais. Durante nosso experimento notamos que a amídala [região cerebral responsável pela agressividade, impulsos sexuais e alguns aspectos da memória] foi ativada”, afirma Kenneth T. Kishida, líder da pesquisa.

“Acredita-se que amídala seja ativada por situações emocionais como aquelas que induzem ao medo e ansiedade”, explica o pesquisador. Fato que explicaria o descompasso, temporário, na expressão do QI desses indivíduos.

Mulheres
Os pesquisadores constataram que esse fenômeno é mais comum entre mulheres. Das 14 pessoas que apresentaram os piores desempenhos no estudo, 11 eram mulheres. Dos 13 que tiveram os melhores resultados, 10 eram homens.

“Uma hipótese é que as mulheres sejam mais adaptadas em promover e perceber o desempenho do grupo e, por isso, são mais sensíveis para diferentes tipos de sinais sociais”, diz o especialista. Em outras palavras, as mulheres, provavelmente por uma questão evolutiva, são mais atentas ao que as outras pessoas estão sentindo ou pensando.