Quer estudar na Irlanda com tudo pago? Concurso leva brasileiro para lá

É possível se candidatar até o dia 3 de junho, sendo que o resultado será divulgado no dia 13 do mesmo mês

Os brasileiros interessados em estudar fora podem fazer as malas por uma variedade de motivos. Por exemplo, para aperfeiçoar o inglês, fazer networking a nível internacional, adicionar uma experiência profissional no exterior ao currículo. Para os que sonham em viver essa experiência em terras irlandesas, há boas notícias: estão abertas as inscrições para o concurso “Eu na Irlanda”, que levará um brasileiro para o intercâmbio na Irlanda com tudo pago.

Trata-se da terceira edição do programa, criado pelo E-Dublin e pela agência de intercâmbios Time2 Travel. É possível se candidatar até o dia 3 de junho, sendo que o resultado será divulgado no dia 13 do mesmo mês. A pessoa selecionada terá de embarcar na primeira semana de agosto, para a cidade de Galway.

Como se inscrever para o intercâmbio na Irlanda com tudo pago

Os requisitos para inscrição são simples. É necessário ter, no mínimo, 18 anos de idade, além de um passaporte válido para efetuar o cadastro no concurso cultural. Como parte da seleção, o participante precisa enviar um vídeo com duração de um minuto, explicando de que forma deseja aproveitar o verão na Irlanda com tudo pago.

Também é preciso submeter um formulário padrão, em que conste o link para o vídeo, com informações sobre experiências prévias no exterior, o que gostaria de fazer em Galway e como lida com as câmeras.

Isso porque o selecionado estrelará uma série de vídeos sobre a experiência no país, para o canal do Youtube do E-Dublin. Haverá uma equipe de filmagem acompanhando o jovem escolhido durante as três semanas em terras irlandesas.

Quais os benefícios?

O apoio oferecido pelo programa inclui uma bolsa de estudo de três semanas numa escola em Galway, além de passagens aéreas de ida e volta, seguro-saúde, acomodação e alimentação.

Para saber mais detalhes da iniciativa e fazer a inscrição, basta acessar o site.

  • Este artigo foi originalmente publicado pelo Estudar Fora, portal da Fundação Estudar