Professor dá dica para evitar confusão ao falar do acordo entre as Coreias

Professor de português Diogo Arrais explica como melhor usar as preposições para evitar grandes confusões na hora de escrever. Veja a dica:

Recentemente, uma notícia surpreendeu o mundo: “Após promessa de acordo de paz, Kim volta de carro de visita histórica à Coreia do Sul.”

Além do sentido da expressão, ative-me a observar o verdadeiro festival de preposições ali instaladas.

Na Língua, preposição é palavra invariável que serve para estabelecer as relações entre duas palavras, como em “pulava de alegria, ficou em casa, feito por mim, útil a todos”.

As essenciais são: “a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás.”

Especificamente a preposição “de” tem largo uso, indicando:

Origem: Seus erros provêm da inexperiência.

O lugar ou momento em que se inicia um trajeto ou um período de tempo, uma contagem ou medição: De um lado até o outro são 10 metros.

Condição, situação: Virar de costas.

Motivo ou causa: Caiu de cansaço; Atrasou-se de propósito.

Uso, função, propósito, destinação: Creme de alisar cabelo; Sala de reuniões.

Quantidade, preço, medida: Turma de 25 alunos; Blusa de R$30.

Lugar, posição: A unha do pé encravou; A porta da frente.

Meio, instrumento: Fomos de carro (apesar do mais lógico “ir no carro”); Comeu de garfo e faca.

Posse, prerrogativa, atribuição de algo a alguém: De quem é essa caneta?

Relação com algum assunto (com uso equivalente ao da prep. sobre): Fale de suas férias.

Tempo: Choveu de noite.

Determinação do segundo termo da comparação: É mais gordo do que o primo: É mais alto do que eu.

Qualificação de algo ou alguém, atribuir-lhe alguma característica: um prato de primeira (qualidade); Vencê-lo será uma questão de paciência.

Introdução de complementos verbais ou nominais: Nunca se esqueça de mim.

Quando não existe o equilíbrio no uso, esses recursos de ligação causam – por exemplo – a ambiguidade. Vejamos:

“Kim volta de carro de visita histórica”“de carro de visita histórica”, próprio para isso ou “volta de visita histórica”? Confuso!

Por isso, pensar em novo ordenamento garantirá um bom sentido: “Kim, de carro, volta de visita histórica à Coreia.”

Além disso, uma locução com “de”, na ideia de assunto, pode dar lugar a “sobre”: “Após promessa de acordo sobre paz (…)”

Em vez de tantas repetições, prefiro o caminho lógico prepositivo, garantindo clareza na informação: “Após promessa de acordo sobre paz, Kim – no carro – volta de visita histórica à Coreia do Sul.”

É tudo questão de revisão, sobre revisão, com revisão e lógica prepositiva. Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

Diogo Arrais
@diogoarrais
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa