Por que o game mais popular do momento pode ajudar quem quer ser trainee

Fenômeno dos jogos eletrônicos exige um tipo de atitude que pode ser o segredo para quem mira uma vaga de trainee

São Paulo –  O Fortnite, fenômeno Battle Royale da Epic Games, é sensação do momento. O game já foi explorado por mais de 125 milhões de pessoas no mundo e arrecadou mais de 1,2 bilhão de dólares.

Com jogadores ilustres –  como o francês Antoine Griezmann que usou danças do game ao celebrar gols na Copa do Mundo – o game rende bons insights para quem mira uma vaga de trainee e quer mandar bem ao longo do programa, na opinião de Ricardo Haag, diretor da Page Talent.

É que o segredo da aprovação em um trainee e uma das chaves da efetivação ao fim do programa é a atitude. E o executivo enxerga algumas semelhanças entre o comportamento vencedor em uma seleção ou programa de trainee e a tática necessária para se dar bem no game.

“As empresas estão em busca de jovens com boa capacidade de comunicação, trabalho em equipe, afinidade tecnológica, enfim, virtudes que nascem do comportamento de cada um, isso inclui a própria disposição à liderança”, diz Ricardo Haag, diretor da Page Talent.

Confira as lições do Fortnite aos futuros trainees, segundo o executivo:

Autodesenvolvimento como estratégia

Estar bem treinado e ter bom desempenho nos desafios do Fortnite não basta. Para vencer no jogo, diz Haag, é preciso jogar com estratégia, já que as partidas juntam dezenas de jogadores e o mapa é extenso.

“O exemplo do jogo é perfeito: colocando no plano estratégico, o jovem deve viver a experiência do trainee como uma academia para a vida, mesmo que ele não seja integrado ao final do período, quando voltar ao mercado, terá a noção exata do que é necessário para trilhar um caminho rumo às posições de liderança”, diz. 

Em busca de uma versão melhor 

Programas de trainee geralmente dão a oportunidade de uma visão mais ampla da companhia já que os profissionais trabalham em diversas áreas, no esquema de rotação.Ao longo dos meses do trainee, são muitas vezes estimulados a desempenhar tarefas bem distantes do que virá a ser o seu escopo de atuação.

“O jogo mostra que é preciso buscar novas versões de si próprio para chegar mais longe. Na vida real isso nem sempre é tão acessível, mas lutar para melhorar a nossa versão atual é algo que pode sim se concretizar, mas não depende apenas de estratégia, isso exige esforço pessoal, emocional e desejo de crescimento”, diz Haag.

 Investir na expansão de habilidades: livros, cursos online

Comprar itens específicos e equipamentos especiais ajuda a melhorar o desempenho no jogo.  Investir em livros, cursos presenciais e online, certificações, workshops é caminho para adquirir diferencial competitivo no mercado.

“Eu acredito que essa analogia seja perfeita para a carreira. Aqui mora um segredo: o jovem que sabe destinar parte dos recursos e da sua energia para investir em conhecimento, certamente chegará mais longe”, diz o diretor da Page Talent. 

Mapear o ambiente de trabalho de forma mais leve e agradável 

Os jogadores se movimentam pelos mundos distribuídos em um mapa e esse modo de visão do game deveria ultrapassar os domínios do Fortnite, segundo Haag. 

“Em quais setores eu me sinto melhor? Em quais tarefas eu me realizo? Que tipo de exigência é realmente pesada para mim neste momento? Eu estou me comunicando de forma correta dentro da empresa? Esse mapa de oportunidades e desafios parece simples, mas quase nunca é materializado. O Fortnite é um exemplo perfeito de jogo que nos estimula a mapear situações”, diz.

O executivo indica que essa reflexão seja realmente desenhada em um caderno ou em forma de notas no celular. “É importante consolidar em um ponto de leitura externo à mente, desse modo, transforma-se em ferramenta”, afirma.

Celebre as vitórias

Como no game, vibrar com metas cumpridas, trabalhos bem feitos e resultados alcançados é muito bom para melhorar o clima no ambiente de trabalho.

“Talvez o aspecto mais interessante do Fortnite é a cultura de celebração do game, os movimentos, danças e trejeitos que os personagens assumem em determinadas cenas, em especial de êxito. Não à toa atletas famosos imitam os movimentos na comemoração de seus gols, defesas, pontos, enfim, nos momentos de vitória”, diz Haag.

A celebração diante da produtividade é uma aliada à construção da reputação, na opinião dele. “Isso deve começar cedo e a experiência do trainee é uma ótima oportunidade”, diz. Confira a dança de Antoine Griezmann, na Copa da Rússia