PepsiCo dá bônus de US$ 2 milhões para ex- CEO

Em 2010, Mássimo d'Amore, que era presidente do Grupo Global de Bebidas da Pepsico, recebeu 860 mil dólares em salário fixo anual

São Paulo – Mássimo d’Amore, presidente do grupo global de bebidas da Pepsico, está deixando suas funções na companhia para aproveitar uma aposentadoria, no mínimo, milionária.

De acordo com comunicado da Pepsico, o (agora) ex-CEO receberá cerca de 2 milhões de dólares só em bônus. O valor, que será dividido em 26 pagamentos, corresponde ao período de transição do executivo para a aposentadoria.

Em benefícios de aposentadoria e ações, d’Amore já acumula cerca de 3,4 milhões de dólares.

Em 2010, quando assumiu o cargo de presidente global de bebidas da Pepsico, o executivo recebeu um pacote de remuneração equivalente a 5,2 milhões de dólares, de acordo com a revista Forbes.

Ele ingressou na companhia em 1995 no cargo de vice-presidente de marketing da então Pepsi-Cola International. Antes disso, atuou por 15 anos na Pepsico.

A PepsiCo afirmou, hoje, que irá demitir 8,7 mil pessoas.