Os profissionais que mais (e menos) dominam inglês no mundo

Levantamento da EF sobre domínio de inglês foi feito com mais de 510.000 participantes entre 2.078 empresas em 40 países

São Paulo- A EF divulgou hoje pesquisas globais de domínio de inglês e a novidade fica por da pesquisa feita por área de trabalho. Foram avaliados mais de 510 mil pessoas em 40 países de 16 diferentes setores.

Surpreende que áreas diretamente ligadas à internacionalização como aviação e logística tenham ido mal, segundo o relatório da pesquisa que traz também a variação de acordo com as funções. Nota-se, por exemplo, que executivos sabem menos inglês do que gerentes abaixo deles.

“Esse padrão é provavelmente um resultado das diferenças entre as gerações, já que as habilidades com a língua inglesa tendem a ser menores entre adultos mais velhos do que entre jovens profissionais”, diz o texto divulgado com a pesquisa.

Como funciona o índice de pontuação da pesquisa

Na correspondência com o CEFR (Common European Framework of Reference – Quadro Europeu Comum de Referência), a faixa de proficiência muito alta corresponde ao nível B2. As faixas de proficiência alta, moderada e baixa correspondem ao nível B1 do CEFR. A faixa de proficiência muito baixa corresponde ao nível A2 do CEFR.

A seguir, confira o ranking dos setores segundo o domínio da língua inglesa.