Os destaques do ano

Confira os cursos de bom desempenho em cada categoria da pesquisa

MBA Executivo 

Padrão global

A primeira colocação na categoria MBA Executivo ficou com o OneMBA, programa internacional da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV-Eaesp). O programa é organizado em parceria com quatro instituições estrangeiras: da China, dos Estados Unidos, da Holanda e do México. Todas as aulas são em inglês com participação de alunos de todas as instituições.

“Semanalmente há teleconferências com gente do mundo inteiro, o que cria uma rede de contatos forte, que eu uso até hoje”, diz o engenheiro Fernando Prado, de 38 anos, sócio-proprietário da Rhino Motos, concessionária Kawazaki, de São Paulo, que abriu o negócio após a conclusão do curso.

“Entrei lá pelo aprendizado e hoje me sinto seguro para tomar decisões em qualquer área da minha empresa.” A FGV-Eaesp também é a vencedora na categoria Mestrado Profissional, que só teve três cursos inscritos.

Único tipo de MBA classificado como stricto sensu pelo Ministério da Educação, o mestrado profissional exige dedicação full time de seus alunos, o que é um fator restritivo à participação. Por isso mesmo, existem poucas instituições no Brasil que oferecem o curso. Na FGV-Eaesp, é digno de menção o nível dos alunos: 50% dos profissionais que responderam à pesquisa eram diretores ou presidentes.  

RH  

Propostas distintas

As duas primeiras colocações na categoria recursos humanos são ocupadas pelos programas da Fundação Instituto de Administração (FIA), de São Paulo, e da Fundação Dom Cabral (FDC), de Nova Lima, Minas Gerais. As propostas são distintas: as turmas na escola paulista são formadas por executivos mais experientes, com mais de sete anos em cargo gerencial.


A média de idade é de 35 anos e todos trabalham na área de recursos humanos. O destaque é o networking proporcionado: são muitos os executivos de RH de grandes companhias que passaram pelo curso ou contrataram seus professores para consultorias. “O curso tem renome no mercado”, diz um aluno formado em 2009.

Já na instituição mineira, o programa é voltado para profissionais num estágio um pouco anterior na carreira: a média de idade dos participantes é de 30 anos. Além disso, há uma presença grande de profissionais de fora da área de RH, já que o programa propõe uma visão mais ampla de gestão de pessoas. “Como liderança virou um assunto importante para qualquer gestor, pessoas de marketing e finanças também vêm fazer o curso”, diz uma aluna que concluiu a especialização neste ano. 

TI  

Duas escolas em evidência

Os destaques na categoria TI são o Instituto Infnet, do Rio de Janeiro, e a Unifacs, de Salvador. A instituição carioca apresenta, em seu curso MBA em Governança e Melhores Práticas de TI, os alunos mais qualificados das especializações em tecnologia da informação.

“Você cria uma rede de relacionamentos eficiente, o que é importante quando tem que resolver problemas muitos específicos da área e precisa de apoio de outros profissionais para trocar ideias”, diz Felipe de Barros, de 42 anos, gerente de TI de uma unidade do Senai do Rio.

Outro destaque em TI é a Unifacs, de Salvador, que teve boas colocações com os cursos MBA em Gestão da Informação e MBA em Gestão de Projetos (PMI). Na instituição, o forte é a formação acadêmica dos professores — a ligação deles com o mercado deixa um pouco a desejar.

“O mérito do programa é dar uma visão geral de negócios para profissionais que normalmente são muito técnicos”, diz o ex-participante Adriano Araújo, diretor de TI da IP3 Tecnologia, desenvolvedora de software de Salvador. 

Finanças  

Ensino elogiado

Vencedor na categoria finanças, o MBA Executivo em Finanças do Insper (antigo Ibmec São Paulo) é descrito pelos ex-alunos como um programa completo e exigente. Isso se deve, de acordo com quem cursou, a um método de ensino que estimula a participação durante as aulas e o exercício prático em atividades extracurriculares (o curso tem 546 horas de aulas presenciais e outras 100 de trabalho fora de classe).


“Para acompanhar o ritmo, você precisa estudar em casa e chegar à aula preparada”, diz Tatiana Falbo Eclissato, de 33 anos, superintendente de operações estruturadas do Banco Banif de Investimento. Os alunos do curso podem fazer uma extensão de 40 horas na Darden School of Business, da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos. A etapa extra custa 3.000 dólares.

Marketing 

Dobradinha na liderança

A FIA ocupa as duas primeiras colocações da categoria marketing, com os cursos MBA Marketing de Serviços e MBA Marketing, oferecidos em São Paulo. Ambos têm estrutura parecida, com uma etapa inicial mais teórica (sobre gestão de negócios) e uma segunda parte de especialização na área escolhida.

O mérito da FIA, de acordo com os alunos, é alinhar um time de professores com experiência acadêmica sem perder a ligação com o mercado. Isso é feito trazendo empresários, executivos e especialistas para as palestras.

“Essa solução mescla o rigor acadêmico com uma visão atual”, diz Viviane Pereira Santos, de 28 anos, gerente de planejamento de uma unidade da rede de academias Cia. Athletica, formada em marketing de serviços em 2009, que elogia a metodologia, que contempla simulador de estudos de caso e monitoria em sala de aula.

Outro destaque é o Cedepe, de Recife, que reúne os alunos mais experientes: em média, os participantes têm sete anos de experiência gerencial.