Os “Correios é” ou os “Correios são”, qual é o certo?

Como fica a concordância do verbo quando se está diante do nome Correios? Professor Diogo Arrais responde

Na semana passada, tive a felicidade de receber uma dúvida: “Diante do nome CORREIOS, o verbo deve ir para o plural ou para o singular?”

A princípio, devemos dar atenção à presença do artigo. Caso apareça no plural, o verbo também estar no plural:

“Os Correios preveem mudanças no Sedex 10.”

Como apoio ao estudo, há um trecho de Mário Barreto:

“Por isso, as Cartas Persas anunciam o Espírito das Leis.”

No entanto, com o verbo “ser” e o complemento da frase no singular, pode ocorrer o singular:

“Os Correios é uma empresa importante.”

Entre o singular e o plural, à visão dos principais gramáticos, a concordância do verbo faz-se preferencialmente no plural:

“Tudo são palavras.”
“O problema eram as correspondências indecentes.”
“As cartas registradas são a melhor garantia de comunicação.”
“Os Correios são uma empresa importante.”

A etimologia de “correio” está no provençal corrieu, alteração provável de vocábulo do antigo francês corlieu, composto de courir (correr) e lieu (lugar). Já “correspondência” provém do latim respondere (responder), notando-se a formação de diversos outros vocábulos, na Língua Portuguesa, com o significado de dizer ou escrever a alguém.

Você sabia que “folha de papel” e “carteiro” têm ligação? Carteiro provém do latim charta (folha escrita) mais o sufixo -eiro.

Essa expressão latina é, em princípio, a adaptação do grego khartés – o histórico papel (papiro) em que eram redigidos documentos e correspondências.

Um grande abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

Diogo Arrais
@diogoarrais
Professor de Língua Portuguesa – CPJUR
Autor Gramatical pela Editora Saraiva