O que é etiqueta profissional e como ela pode ajudar você na carreira

Confira algumas dicas de atitudes que você pode começar a praticar no ambiente de trabalho

“Não faça com os outros o que você não gostaria que fizessem com você.” Já ouviu falar nessa frase? Essa é a premissa básica da etiqueta profissional, segundo Viviane Vicente, fundadora da Rispetto Consulting. O assunto é central em seu dia a dia porque, além de trabalhar com comunicação intercultural, ela atua como consultora sobre etiqueta profissional, prestando serviço para organizações.

Mas por que essa é uma demanda das companhias? De acordo com a especialista, existem algumas vantagens. “Etiqueta profissional seria o conjunto de comportamentos que são adequados para promover uma harmonia no ambiente de trabalho e nas relações de negócio”, explica ela. “Essas atitudes, diferem, por vezes, do comportamento que é aceitável na vida social.”

Eu não gosto nem de chamar de regras, porque apesar de podermos enumerar uma série de regras, o importante é adequar esse comportamento ao ambiente que seja de um determinado segmente, cultura, e perceber o que funciona mais para criar um ambiente harmônico.

De onde vem

O nome não é por acaso: o conceito parte da etiqueta, social ou “boas maneiras”, que surgiu na Idade Moderna. O nome original era em francês e surgiu por causa da etiqueta, ou placa, que indicava que não se pisasse na grama. “Por que você não vai pisar na grama? Por que alguém cuidou, porque é para ficar bonita, saudável, e porque tem um caminho para as pessoas pisarem”, diz a especialista.

O fundamento de tudo isso, das boas maneiras no campo social ao profissional, é o respeito, afirma ela. É fazer as pessoas se sentirem bem, confortáveis, à vontade. “É basicamente evitar ofensa, evitar incômodo ao outro”, conclui.

“George Washington, o primeiro presidente dos EUA, quando era adolescente, encontrou uma série de regras de etiqueta que estavam em francês, compilou e transcreveu em um livro. A primeira que ele achou e transcreveu é: ‘tudo que se faz em companhia de outros, deve ser feito com respeito.’

De início, o termo original era “etiqueta corporativa”. Foi adaptado, no entanto, para incluir os outros setores fora do mundo corporativo, como o terceiro e o governo, por exemplo. Hoje etiqueta profissional se aplica à qualquer ambiente de trabalho, segmento e indústria.

Como as regras são relacionadas ao contato com o outro e não formalidades, o conceito serve para todos os ambientes de trabalho, até os mais informais.

Por que importa para a carreira

Uma das inspirações para o surgimento do conceito é o protocolo, conjunto de regras para ocasiões oficiais, cerimônias solenes e relações governamentais, inclusive entre países. “Ele existe porque se uma autoridade de um país vai visitar a outra, os dois lados precisam ter alguma previsibilidade de como vai ser esse comportamento”, destaca Viviane. Por isso, foram criadas uma série de regras que valem, basicamente, para o mundo inteiro.

No mercado, a mesma preocupação se aplica. “Mesmo que não tratemos de autoridades de governo oficiais, as pessoas que estão trabalhando juntas precisam encontrar esse conforto”, completa ela.

Entre os benefícios dessa harmonia que seguir as premissas da etiqueta profissional podem oferecer para a companhia, ela aponta incentivo a resultados, performance, produtividade e colaboração. “As pessoas já estão confortáveis, não estão se sentindo ofendidas, se entendem, entendem o que cada um está falando, se respeitam e conseguem trabalhar juntas em qualquer posição que for.”

Para o candidato em si também importa e pode ser até uma vantagem competitiva, um diferencial, na hora de buscar colocação. Isso porque o tipo de atitudes que ela prevê – como apresentação e comunicação adequadas – são quesitos observados na maior parte dos processos seletivos. “Se [a pessoa] não consegue se relacionar bem, se apresentar bem, se comunicar bem, não é completo esse pacote. E aí vai ficar mais difícil de provar essa capacidade técnica que, muitas vezes, realmente existe.”

“[…] Aplicando as regras da etiqueta profissional, abrimos as portas para que essa competência seja observada e provada. Então, as pessoas são incentivadas a prestar atenção ao que você está falando antes mesmo que dê tempo de falar.”

Dicas para aplicar a etiqueta profissional

Na realidade, algumas atitudes simples e fáceis de empregar são condizentes com a etiqueta profissional. Embora seja um conjunto de regras, a consultora destaca que o importante é adequar os comportamentos ao ambiente. Em relação ao segmento, cultura… o objetivo é promover a harmonia, o que depende do contexto.

Uma forma simples de se guiar na hora de agir no trabalho, segundo ela, é pensar, antes de agir: “Esse comportamento está respeitando o outro?”

A boa notícia é que o costume de praticá-los não é inato. Quem se interessa pode aprender observando os outros, lendo e estudando sobre o assunto. Atualmente, de acordo com Viviane, não falta fonte de informação. Além disso, existem treinamentos e programas de coach focados em etiqueta profissional.

Ao Na Prática, a especialista deu algumas dicas de atitudes que você pode começar a praticar no ambiente de trabalho – confira.

1 Cuidado na hora de endereçar

Na hora da apresentação, guarde o nome da pessoa e preste atenção à forma com que ela se refere. Se o novo conhecido disser: “Prazer, Eduardo, mas todo mundo me chama de Edu”, por exemplo, o ideal é chamá-lo de “Edu”. Do contrário, diga o nome inteiro.

2 Dê atenção quando alguém chega (adequadamente)

“Se alguém novo entra no seu escritório, você se levanta, dá a mão ou um beijo no rosto, dependendo da cultura, se aqui no Brasil é mais informal, ou essa empresa é mais informal”, explica Viviane.

Evite “ignorar” a entrada da pessoa. Por isso, se está no telefone, pare de falar. Não ignorar. para de falar no telefone se um cliente entrou. “Você não precisa ficar apajeando, mas reconhecer que a pessoa está ali.”

3 Não interrompa

Ouvir o que o outro está dizendo sem interromper é uma das recomendações da fundadora da Rispetto Consulting. “Parece básico, mas infelizmente em muitas empresas, entidades, nas reuniões, acontece isso. Isso não tem nada a ver com formalidade, é uma questão de comunicação e de respeito.”

4 Aplique a dose certa de “olho no olho”

Enquanto se conversa, o ideal, de acordo com a etiqueta profissional, é direcionar o olhar ao da outra pessoa. Mas, cuidado: não de uma maneira “invasiva”.

5 Adeque-se ao dresscode (e empenhe-se na sua apresentação)

A aparência importa, segundo Viviane, porque tem a ver com a maneira com que nos apresentamos. Por isso, deve ser coerente com o segmento e com a organização.

Não se trata de luxo, ou de tipo físico, por exemplo. Esteja sempre limpo, com a roupa passada, e garante que ela tenha um tamanho adequado para você (nem muito grande nem muito pequena), aconselha ela. Isso se aplica até aos dresscodes mais relaxados, diz ela.

O open space requer cuidados específicos, atente-se

Se o local onde você trabalha – ou vai trabalhar – é aberto, com os profissionais dividindo o mesmo espaço, você deve ter mais atenção às suas atitudes para garantir que não atrapalhe, de acordo com a especialista em etiqueta profissional.

Modere o tom de voz nas conversas e ligações para não atrapalhar a concentração alheia e evite comer na mesa. Para se guiar, a vale a regra do bom-senso. “Uma barrinha de cereal provavelmente não incomoda ninguém. Se você trouxer um prato de peixe, o cheiro vai impregnar a sala toda”, brinca ela.