“Ninguém gosta de quem vive se gabando”

Repense a sua carreira e construa do jeito certo a sua marca pessoal

São Paulo – A jornalista americana Dorie Clark vai lançar em 2013 um livro no qual sugere um passo a passo para repensar a carreira e elaborar a marca pessoal.

É importante evitar exageros ao fazer marketing pessoal? Quais são os limites do autoelogio? Ninguém gosta de quem vive se gabando, por isso é importante entender que fazer marketing pessoal trata mais de demonstrar suas habilidades do que de apontá-las.

Como estratégia, você pode fazer uma parceria com um colega para falar bem um do outro em uma conversa de trabalho — sobre qualidades reais, é claro. Elogios soam muito melhores vindos da boca de outra pessoa. Você também pode usar sinais sutis para mostrar seus conhecimentos, como usar a assinatura do e-mail para realçar que sua empresa foi vencedora de um prêmio importante.

Como avaliar as habilidades profissionais? A primeira questão a se perguntar é: “O que posso oferecer de diferente?”. Sevocê está mudando de emprego ou de carreira, pense sobre as habilidades que desenvolveu e que os outros não têm. Essa será sua vantagem competitiva.

Como fazer marketing pessoal no dia a dia? O melhor é que você faça do marketing pessoal parte de sua rotina, assim ele se torna natural, em vez de opressivo e obrigatório. O uso da internet facilita muito a construção da marca pessoal, pois você pode criar um bom conteúdo para demonstrar o que mais sabe.

Com as redes sociais é possível estabelecer uma marca pessoal forte. Usar ferramentas para administrar as postagens nas redes e programar um fluxo de textos para o blog é sempre uma boa ideia.

De que maneira é possível conseguir a autoconfiança necessária para mostrar qualidades profissionais? Normalmente as pessoas medem sua competência profissional com base nas pistas que você dá e na maneira que você se apresenta. Portanto, é importante projetar um ar de confiança, mesmo que ainda não se sinta confiante.

Uma técnica que pode ajudar é ter a certeza de que está vestido para o papel que “interpreta” — ter segurança de que está trajado adequadamente para seu campo profissional já dará tranquilidade.