Networking rosa-choque

Podemos ser firmes sem perder o lado feminino

Além de revelar as companhias que têm um modelo diferenciado de gestão de pessoas, o Guia VOCÊ S/A-Exame – As Melhores Empresas para Você Trabalhar costuma fornecer dados novos e interessantes sobre a dinâmica dessas empresas.

A edição deste ano mostra que o número de mulheres em cargos de alto escalão aumentou significativamente. Com a presidência nas mãos, cresce a importância do networking no dia a dia das executivas.

Para o sexo masculino tudo está meio estabelecido há tempos: a conversa sobre o trabalho acontece num happy hour, numa degustação de vinhos ou de charutos. O novo poder rosa-choque tem de entender que esse tipo de atividade é unissex — ouço muitas profissionais dizerem que têm dificuldade para administrar a questão.  

Boas relações facilitam sobremaneira nossa vida profissional e nos fazem crescer e aprender. Além disso, esse tipo de compromisso está 100% associado a trabalho e você pode comparecer a quantos precisar ou achar que deve sem nenhum receio. 

O segmento charuto segue sendo uma seara quase totalmente masculina, embora seja crescente o número de mulheres que apreciam um bom charuto. E muitos bons contatos são feitos em campos de golfe — a privacidade, o espaço amplo, a tranquilidade do local contribuem para que importantes conversas possam acontecer.

Se eu fosse uma grande executiva, trataria de procurar um local para ter aulas sobre o esporte e me iniciaria nesse campo interessantíssimo: vai ser bom para seus negócios e também para sua saúde.

Almoços e jantares seguem sendo compromissos sociais de grande valia. O mesmo acontece com os cafés da manhã. A executiva paga a conta sempre que convidar e dá o tom e o ritmo a essas refeições. E, por último, vale um lembrete: a mulher executiva não precisa se embrutecer nem se masculinizar para ser respeitada e conseguir atingir todos os objetivos a que almeja. 

Podemos ser assertivas, seguras e firmes, sem perder a suavidade atrelada a atitudes do sexo feminino — as executivas poderosas e chiques sabem disso.

Célia Leão é autora de Boas Maneiras de A a Z (Editora STS) e consultora de etiqueta empresarial