Nesta empresa, os funcionários fazem plebiscito para escolher benefícios

Ela é a sexta entre as Melhores Empresas para Começar a Carreira e quase metade dos seus funcionários tem menos de 26 anos

São Paulo – Quase metade dos 1.125 funcionários da ClearSale, que oferece soluções de combate a fraudes no e-commerce, tem menos de 26 anos. Por isso, o clima na companhia, como acontece em outras do ramo de tecnologia, é de informalidade, algo que não aparece apenas nos trajes descontraídos.

A ClearSale ficou em sexto lugar entre as Melhores Empresas para Começar a Carreira.

A forma de estabelecer relações também foge dos modelos rígidos. Os jovens dizem, por exemplo, que as lideranças estimulam o questionamento das crenças estabelecidas e a contribuição para as discussões internas.

“O ambiente aqui não é hierarquizado”, diz um funcionário. Periodicamente, a ClearSale faz um plebiscito para que todos votem nos benefícios não obrigatórios que gostariam de ter ou manter.

Dessa votação já saíram desde atividades culturais, como aulas de xadrez, cinema e música, até programa de empréstimo consignado e curso de inglês subsidiado pela companhia, oferecido por uma escola parceira que leva professores até a empresa para ministrar as aulas.

Essas turmas de idioma contam com 100 vagas disponíveis, preenchidas por ordem de manifestação de interesse e revisadas periodicamente. Quando há desistência ou conclusão do curso, novos participantes da lista de espera são chamados. br.clear.sale


PONTOS POSITIVOS

A empresa oferece bolsas de estudo para graduação, que cobrem de 70% a 80% do valor da mensalidade, a quem ganha salários menores. O curso escolhido não precisa ter relação com a função nem com o negócio.


PONTOS A MELHORAR

Os funcionários dizem que o valor do vale-refeição é baixo, que não existem muitas oportunidades de job rotation entre as áreas e que o programa de home office é restrito a poucos profissionais.