Na MM, loja nova e gerente antigo

As chances de promoção aumentam a cada nova loja aberta nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo

Ponta Grossa (PR) – A cidade de Ponta Grossa, no interior do Paraná, fica a 114 quilômetros de Curitiba. Por lá, se você perguntar onde fica a MM mais próxima, como a rede varejista é chamada, todos saberão responder. De 1978, quando foi fundada a primeira unidade próxima à rodoviária da cidade, até hoje, a rede chegou a 176 lojas, espalhadas pelos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo, além da loja online, que já responde por 10% do faturamento.

Até o final do ano, devem ser abertas mais 20 lojas. Todos estão entusiasmados com o crescimento e empenhados em cumprir as metas. Afinal, a cada nova unidade as chances de promoção aumentam, já que a empresa privilegia o time interno.”Loja nova, gerente antigo” é o que se diz por lá. Para dar suporte à forte expansão, a companhia tem investido em treinamentos.

Só no ano passado, foram injetados 2.075.000 reais, 25% a mais que em 2010. “É um dever cuidarmos de nossos funcionários, pois queremos crescer com planejamento”, diz uma líder. Há quatro anos, a empresa construiu em sua sede, em Ponta Grossa, um centro de desenvolvimento de 2.000 metros quadrados, com 110 quartos, para abrigar quem vem de outras cidades.

Ali, todo empregado que ingressa na MM passa por um treinamento. O espaço também é usado para dar todos os cursos da companhia. A universidade corporativa e os cursos online incrementam o pacote de desenvolvimento. Já o Instituto MM ajuda a atrair e preparar a mão de obra, que está em falta.

Presente em 21 cidades no Paraná, o projeto já atendeu mais de 3.000 crianças e adolescentes com diversos cursos. “Ensinamos assuntos básicos, como o relacionamento interpessoal, por exemplo”, afirma Orion Barbosa, gestor de recursos humanos e responsabilidade social.

No ano passado, o Instituto MM firmou 110 parcerias com outras empresas, o que ampliou o atendimento. “Com os programas de capacitação, preparamos mão de obra para trabalhar não só aqui, mas em empresas da região também”, diz Marcos Camargo, diretor de gestão de pessoas. 

PONTO(S) POSITIVO(S) PONTO(S) A MELHORAR
A comunicação é clara, com reuniões semanais para passar os principais indicadores, além da tevê corporativa, que transmite mensagens importantes. Apesar do bom pacote de benefícios, falta auxílio-creche e os funcionários só recebem plano de saúde após um ano de empresa.