Mandei entrar ou mandei entrarem os colaboradores?

Diogo Arrais, professor do Damásio Educacional, explica como funciona a flexão do infinitivo, segundo a gramática

* Resposta de Diogo Arrais, professor de Língua Portuguesa do Damásio Educacional

Em uma ata, de importante empresa, aparecia o seguinte trecho:

“Após a reunião, mandei entrarem os outros colaboradores e não houve acordo.”

Não deu outra: a discussão em torno da variação ou não do verbo “entrar” – “mandei entrar” ou “mandei entrarem”?

De acordo com a tradição gramatical, quando o verbo regente for causativo, como “mandar, fazer, deixar” ou, ainda, sensitivo “ver, ouvir, sentir”, a flexão do infinitivo é facultativa. Vejamos alguns casos:

“Deixei os colaboradores reclamar (ou reclamarem), durante a reunião.”

“Façam os fornecedores falar (ou falarem), durante a reunião.”

No entanto, quando o infinitivo vier distante do verbo regente, a tradição prega apenas o infinitivo flexionado:

“O vice-presidente Marco Antônio mandou gerentes, coordenadores, professores e todos do setor pedagógico opinarem sobre o polêmico Edital.”

Em referência à frase inicial deste texto, o sujeito do infinitivo (os outros colaboradores) aparece posposto e, portanto, o verbo não admite variação:

“Após a reunião, mandei ENTRAR os outros colaboradores e não houve acordo.”

Ademais, esse mesmo caminho (da invariabilidade) segue o verbo quando houver pronome oblíquo átono:

“Após a reunião, mandei-os ENTRAR.”

Tais detalhes gramaticais contribuem para não existir confusão quanto à compreensão da mensagem; podem também ser pauta de uma questão em um processo seletivo e merecem nossa atenção.


Um grande abraço, até a próxima e siga-me pelo Twitter!

 


Diogo Arrais
@diogoarrais
Professor de Língua Portuguesa – Damásio Educacional
Autor Gramatical pela Editora Saraiva