Mais executivos querem mudar de emprego

Profissionais (especialmente os de recursos humanos) estão pessimistas quanto ao futuro dentro das empresas

São Paulo – Uma pesquisa feita com 2 000 executivos brasileiros de média e alta gerência mostrou que 73% deles pretendem mudar de emprego ainda neste ano. O levantamento, que é feito pela consultoria Michael Page, apontou que a busca por mudanças profissionais está mais intensa que no começo do ano passado, quando 61% dos entrevistados tinham a intenção de mudar de emprego.

Marcelo De Lucca, diretor executivo da Michael Page no Brasil, explica que o aumento dos profissionais que querem mudar de emprego está diretamente relacionado à falta de perspectivas de crescimento dentro das companhias. “Em comparação a 2011, os profissionais estão mais pessimistas quanto ao futuro nas empresas atuais em diversos setores, conforme demonstra o nosso levantamento”, afirma De Lucca.

Desânimo impera entre os RHs

A pesquisa revelou que executivos de recursos humanos são os mais pessimistas quanto aos seus empregos, pois 64% dos entrevistados da área dizem não ter chance de crescimento na companhia atual — número 14% maior do que o registrado no ano anterior.

O único setor que apresentou relativa melhora na percepção dos executivos quanto ao atual emprego foi o de tecnologia, cuja perspectiva de crescimento aumentou de 41% para 54%.

Motivação para mudar

Quando questionados sobre os motivos pelos quais trocariam seu trabalho atual por outro, os entrevistados mostram que estão de busca de aumento salarial, metas e desafios estimulantes e promoções de cargos. No entanto, vale ressaltar que, em relação a 2011, menos executivos apontaram o aumento salarial e a promoção como fatores para mudar de emprego, ao mesmo tempo em que a “estabilidade” ganhou mais importância, e desponta como o 5º fator mais relevante. Confira a tabela:

Por quais motivos você deixaria seu trabalho atual?

Motivo 2012 2011
Aumento Salarial 54% 59%
Metas e desafios estimulantes 47% 48%
Promoção 36% 44%
Qualidade de vida 36% 40%
Estabilidade 19% 12%
Possibilidade de trabalhar em outra cidade/país 15% 25%
Horário flexível 7% 11%

A tendência é a de que os profissionais permaneçam cada vez menos tempo em uma mesma companhia. O percentual de executivos com menos de um ano de empresa que pretendem deixar a organização atual passou de 38% (em 2011) para 56% (2012). O mesmo aconteceu para os que estão na empresa entre 1 e 2 anos, com 20% de aumento neste quesito. “Isso é reflexo da ansiedade causada pelas conjuntura econômica, que gera uma percepção de excesso de oportunidades no mercado, nem sempre real”, comenta o diretor da Michael Page.