Livro que preciso ou livro de que preciso, qual é o certo?

Vivien Chivalsky, facilitadora do Instituto Passadori de Educação Corporativa, explica se o verbo precisar pede uso de preposição antes de substantivos ou não

* Respondido por Vivien Chivalsky, facilitador do Instituto Passadori de Educação Corporativa

São Paulo – Essa é uma questão comum e nem sempre muito simples. É por isso que, com certa frequência, faz parte de provas e concursos – pode confundir e levar as pessoas ao erro.

A reposta correta é “o livro de que preciso”. Vou explicar por quê. 

Sim, há polêmicas sobe o assunto, mas vou me limitar ao que costumamos considerar na escrita empresarial, ou seja, na linguagem chamada culta.

Embora, mais uma vez, haja diferenças entre explicações e razões dos gramáticos, de forma geral, sempre que palavras, expressões, verbos pedirem uma preposição, ela não poderá ser excluída se estiver antes de um pronome relativo. 

Em outras palavras, o verbo precisar pede o uso de preposição antes de substantivos – eu preciso de tempo, de dinheiro, de um livro. Naturalmente, nós não omitiríamos a preposição. Quem diria “preciso tempo, dinheiro, livro?” Quando, contudo, há na frase um pronome relativo (que, quem, qual, cujo), costumamos fazer isso. Provavelmente, o erro venha da língua falada, pois nela tendemos a omitir, excluir palavras, preposições, etc. Na escrita não deveríamos fazer isso. Aqui está outro exemplo: nascemos em um lugar. Por isso, devemos usar “a cidade em que nasci” (a construção “a cidade que nasci” é inadequada). Veja mais exemplos:

A rua em que ele mora (moramos em um lugar).

O livro de que falei (falamos de alguma coisa ou de alguém).

Tenho certeza de que vamos conseguir (temos certeza de alguma coisa).

Para terminar, deixo algumas dicas sobre o uso das preposições, já que esse é o tema de hoje. Aqui estão:

1 Mesmo quando não houver pronome relativo, não omita a preposição quando ela for necessária. Temos o costume de retirá-las em casos como “devido mudanças no cronograma”. Há duas formas corretas: devido a mudanças no cronograma, devido às mudanças no cronograma.

2 Evite alguns erros clássicos no uso de preposições: em vez de “a longo prazo” use “em longo prazo”. Em vez de “isso implica em mais trabalho” use “isso implica mais trabalho”.

3 Sempre que houver uma preposição e, em seguida vierem os pronomes “ele, eles, ela, elas” ou os artigos “o, os, a, as”, não faça a contração (dele, deles, dela, delas, do, dos, da, das) se logo depois vier um verbo no infinitivo. Com exemplo fica mais fácil: em vez de escrever “chegou a hora dela falar”, escreva “chegou a hora de ela falar”. Em casos como esse, o verbo precisa de um sujeito e a regra é clara – uma contração não pode ser sujeito. Você diria “do diretor envio o relatório”? 
Aqui estão outros exemplos para facilitar: é o momento de o presidente explicar a situação (não escreva do), apesar de a equipe concordar com isso (não escreva da), depois de ela organizar a sala.

Sucesso a todos.