Ipiranga promove o rodízio de funções entre os funcionários

Isso ajuda a preparar as pessoas a mudar de atividade, quando quiserem

Rio de Janeiro – Os gestores da Ipiranga são bem preparados para lidar com a nova geração que está chegando ao mercado de trabalho. E quem garante isso são os próprios jovens funcionários da empresa. Por trás da afirmação está uma preocupação constante com o desenvolvimento das pessoas.

O Programa Geral de Treinamento (PGT) da distribuidora de combustíveis existe há muitos anos e oferece um amplo cardápio de cursos técnicos e comportamentais. Mesmo quem não ocupa cargo de chefia pode fazer os treinamentos de liderança. O resultado é que 100% dos gestores já foram formados em cursos dentro e fora da Ipiranga.

Além disso, a companhia oferece subsídio para graduação, na área que o funcionário escolher, que pode chegar a até 100% da mensalidade, conforme a relação com a atividade e a performance do colaborador. Nas bases operacionais há o rodízio de funções, que qualifica o empregado a mudar de atividade.

Nos escritórios, é comum o jovem ser chamado a cobrir férias de alguém com nível hierárquico superior ao seu, com o objetivo de treiná-lo para galgar o próximo degrau. “Todos têm funções de responsabilidade, e o mais positivo é o investimento que a organização faz em nosso desenvolvimento”, diz um jovem.

O salário deixa a desejar quando comparado com outras distribuidoras de combustíveis e organizações do setor de óleo e gás. Mas o pacote de benefícios é considerado, por essa turma, além do que o mercado oferece por aí. Um dos destaques está na academia de ginástica, que funciona na matriz.

Em outras unidades é dado reembolso para ginástica e natação, além de aluguel de quadra e inscrições em corridas e maratonas. Cerca de 25% do quadro de funcionários participa de atividades físicas. E, de acordo com a última pesquisa de clima, o índice geral de comprometimento é de 77% entre os colaboradores com até 25 anos de idade.