Insatisfeito no trabalho? Poupe mais e siga um novo rumo

Quem não está feliz no trabalho deve economizar para acumular reservas e mudar o rumo da carreira

São Paulo – Toda ciência é feita de leis universais. As finanças pessoais também, embora não seja uma ciência. Regras como não colocar todos os ovos numa cesta só ou poupar parte dos ganhos para o futuro são multiplicadas por profissionais da área.

Uma das regras mais difundidas é a sugestão de poupar cerca de 10% da renda para as necessidades futuras. Se todo trabalhador fizesse isso por 30 anos, ao final desse período teria acumulado um patrimônio que permitiria manter um padrão de vida próximo à média que teve na fase produtiva.

Mas toda regra tem exceções. Uma delas é aumentar o percentual da renda a poupar, caso o interessado se dê conta dessa necessidade depois do ideal, que deveria ser começar a poupar desde o primeiro salário. Quem começa tarde deve se comprometer com um acúmulo maior.

Entretanto, cabem críticas a essa tão universal e bem aceita recomendação. Em primeiro lugar, reflita se uma renda próxima à média que você teve na carreira será suficiente para sua aposentadoria. Será que quem ganha 2 000 reais mensais por 15 anos e depois 6 000 reais mensais por outros 15 conseguirá se manter bem com uma aposentadoria de 4 000 reais mensais?

Um aposentado não só gasta mais com saúde como também tem mais tempo livre para o lazer e um círculo maior de parentes, celebrações e relacionamentos. Gastos com o padrão de vida e com os presentes e vestuário para celebrações aumentarão. 

Além disso, nossa regra universal supõe que todo trabalhador desejará conduzir uma formação de poupança por 30 anos, estará sempre empregado e ainda desejará parar de trabalhar ao se aposentar. Mas essas premissas podem ser derrubadas em muitos casos.

Mudam as premissas, muda a regra. Quem, por exemplo, não está satisfeito com seu trabalho ou tem menor empregabilidade deveria poupar um percentual alto de sua renda para acumular reservas em menor prazo e poder mudar o rumo da carreira. Quem, por outro lado, se sente realizado com a carreira pode poupar menos e estender seu prazo para se aposentar ou até contar com o trabalho na terceira idade, caso sua atividade permita. 

Mantenha a mente aberta quando deparar com regras universais, por mais simples que sejam. Uma boa orientação é aquela que atende à sua necessidade, dentro de sua realidade. Se você não é uma pessoa comum, cuidado com generalizações. Dependendo da situação, seu sacrifício pode ser maior ou menor do que a regra sugere.