Greenwald troca The Guardian por nova empresa de Omidyar

Jornalista que denunciou o esquema de espionagem dos EUA está deixando o The Guardian para participar de um novo empreendimento financiado pelo fundador do eBay

Washington – Glenn Greenwald, jornalista que fez manchetes em todo o mundo com suas reportagens sobre os programas de vigilância eletrônica dos Estados Unidos, está deixando o jornal The Guardian para participar de um novo empreendimento de mídia financiado pelo fundador do eBay, Pierre Omidyar, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

Greenwald, que mora no Brasil e foi um dos primeiros a revelar informações fornecidas pelo então prestador de serviços da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) Edward Snowden, escreveu em seu blog nesta terça-feira que foi presenteado com uma “oportunidade única dos sonhos na carreira jornalística” que não podia deixar passar.

Ele não revelou detalhes do novo empreendimento de mídia do qual participará, mas disse que os detalhes serão anunciados em breve. Greenwald não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Duas fontes familiarizadas com o novo empreendimento disseram que o financiador do projeto era Omidyar. Não ficou imediatamente claro se ele era o único financiador ou se havia outros parceiros.

Omidyar tampouco pôde ser imediatamente contatados para comentar o assunto.

Omidyar, presidente do conselho do eBay, mas que não está envolvido nas operações do dia-a-dia da empresa, tem inúmeras atividades filantrópicas, comerciais e políticas, principalmente por meio de uma entidade de investimento chamada Omidyar Network.

A Forbes estimou o patrimônio líquido de Omidyar, de 46 anos, em 8,5 bilhões de dólares.


Entre seus empreendimentos está a Honolulu Civil Beat, um site de notícias que cobre assuntos públicos no Havaí. A Civil Beat tem como objetivo criar um novo modelo de jornalismo online, embora não esteja claro quão bem sucedido tem sido.

Omidyar, um iraniano-americano nascido na França, também fundou o Fundo para a Democracia para apoiar “empreendedores sociais que trabalham para garantir que nosso sistema político seja sensível para o público”, de acordo com seu website.

A conta no Twitter ativa de Omidyar sugere que ele está muito preocupado com os programas de espionagem do governo expostos por Greenwald e Snowden.

O ex-funcionário da NSA recebeu asilo na Rússia em 1º de agosto. Ele vive em um local secreto fora do alcance das autoridades norte-americanas, que o reivindicam sob a acusação de espionagem porque vazou à imprensa detalhes de programas sigilosos de espionagem.

“Lá se vai a liberdade de associação: A NSA recolhe milhões de livros de endereços de emails globalmente”, Omidyar escreveu no Twitter nesta terça-feira, apontando para uma nova reportagem do Washington Post com base em documentos de Snowden.

Uma porta-voz do The Guardian, Jennifer Lindauer, disse em comunicado publicado no site de Greenwald: “É claro que estamos desapontados com a decisão de Glenn de seguir em frente, mas apreciamos a atração da nova função que lhe foi oferecida. Desejamos a ele o melhor.” A notícia da partida de Greenwald do jornal britânico foi informada anteriormente pelo Buzzfeed.