Ferraris de 2 gigahertz

As novas máquinas deixam qualquer power user babando

Não é difícil acreditar que micros equipados com Pentium 4 de 2 GHz sejam potentes e velozes. Mas será que eles são mesmo tudo o que parecem? Bem, felizmente para os power users, são equipamentos que arrasam no item desempenho nas mãos de qualquer um. Ou melhor, de quem pode pagar por eles. Para quem não pode tanto, há um bom consolo. Além de ter o preço lá nas alturas, a potência do Pentium 4 de 2 GHz é tão grande que, para a grande maioria das aplicações, acaba sobrando. E muito. Só quem realmente precisa de alta performance, para processar imagens ou detonar em games, vai conseguir fazer uso de toda a capacidade do chip.

Claro que um processador sozinho não faz milagres. Colocado com outros componentes medíocres, deixa de fazer sentido. INFO testou o Pentium 4 de 2 GHz em máquinas à sua altura: o Dimension 4300, da Dell, e o InfoWay, da Itautec. A disputa ficou bem apertada. De um lado, o Dimension 4300 com nada menos que 328 MB de memória, 100 GB de disco, DVD-ROM de velocidade máxima de 48x e CD-RW com velocidade máxima de gravação de 16x e de leitura de 40x – e ainda zip drive. O seu monitor é um CRT de tela plana com 17 polegadas e a placa de vídeo é GeForce2. De outro lado, o InfoWay, da Itautec, que veio com 256 MB de memória, 40 GB de disco, DVD-ROM de velocidade máxima de 48x e CD-RW que grava à velocidade máxima de 16x e lê a 40x. Para acompanhar, um monitor de cristal líquido de 15 polegadas e uma placa de vídeo top de linha GeForce3 – sonho dos gamemaníacos.

Os preços? Claro que também não fizeram por menos: o Dimension 4300, da Dell, sai por 6 999 reais, e o InfoWay, da Itautec, custa nada menos que a bagatela de 10 999 reais.

Nos testes, houve praticamente um empate técnico. O Dimension acabou sendo a escolha de INFO porque teve indiscutivelmente a melhor relação entre custo e benefício. Os dois equipamentos têm características de destaque. O micro da Dell, por exemplo, tem um HD inovador: os tais 100 GB são suficientes para 1 248 horas de música em MP3, ou seja, 52 dias de sonzão – mais 72 horas de vídeo em formato DivX. Outra diferença do equipamento da Dell é que ele usa memórias DIMM, ao contrário do concorrente, que usa as RAMBUS – que são três vezes mais caras.

O modelo da Itautec, por sua vez, apesar de ter menos memória e disco rígido, foi 9% mais rápido nos testes de desempenho. O motivo? Ele utiliza o chipset Intel 850, contra o Intel 845 do concorrente Dimension. Por isso, consegue performance melhor, já que o chipset aumenta a velocidade de acesso à memória. Outro destaque é a placa de vídeo GeForce3 — o que existe de mais avançado no momento para os aficionados de jogos de computador. A sua SoundBlaster Live! também leva a melhor perto da placa de som Santa Cruz Turtle Beach do equipamento da Dell. O monitor de 15 polegadas de cristal líquido é outro item que conta pontos para o aparelho (e, por outro lado, aumenta o preço, é verdade).

E por falar em preços, vale a pena chamar a atenção para uma comparação. Apesar de os valores destes micros com Pentium 4 de 2 GHz ainda assustarem muita gente, eles não estão crescendo na mesma proporção que a capacidade das máquinas aumenta. Em junho, testamos o computador Precision 330, da Dell, que vinha com 1,5 GHz, 256 MB de memória, 10 GB de disco rígido, monitor CRT de 15 polegadas e CD-ROM de velocidade máxima de 48x. Custava 6 268 reais. Apenas 731 reais a mais que o Dimension 4300, que, além de ter Pentium 4 de 2 GHz, tem dez vezes o espaço em disco, DVD, gravador de cd e zip drive. O desempenho? O modelo com Pentium 4 de 2 GHz fica 17,6% acima do Precision testado em junho.