Faça isto se quer aprender inglês em menos tempo

Estas atitudes trazem resultados para quem frequenta cursos presenciais, online, em escolas ou com professores particulares de inglês

Primeiro, uma orientação: não espere aqui aquelas dicas milagrosas. Leia até o final e pense se, de fato, você tem estas atitudes quando quer aprender algo – um idioma ou qualquer outra coisa. Vale para cursos presenciais, online, em escolas ou com professores particulares.

1. Tenha metas claras e precisas
Não diga: Quero ser fluente em inglês. Estabeleça metas como: Quero conseguir falar pelo menos três frases em inglês na reunião mensal, até o final de abril. Ou: Quero entender pelo menos 80% de um filme com legenda em inglês, em seis meses. Se o caminho é longo, fragmente-o, estabelecendo alguns pontos de parada para perceber e celebrar as pequenas vitórias.

2. Coloque as ações diárias na agenda
Depois de escrever a meta (sim, tem de escrever!), liste logo abaixo dela pelo menos 10 ações que contribuem para que você a atinja. Por exemplo: a) vou assistir a um filme por semana, buscando no app de dicionário o significado de cinco palavras ou expressões que eu vir na legenda. b) vou assistir a filmes que eu já conheço, para inicialmente facilitar a compreensão da legenda. Depois, coloque estas ações em sua agenda, distribuindo-as pela semana.

3. Comece
Você já deve ter visto aqueles exames de imagem que mostram que, depois de semanas de prática constante de uma habilidade, as áreas do cérebro relacionadas a este aprendizado são alteradas – e o aprendizado é facilitado. Ou seja, é mais difícil começar do que continuar.

4. Se rede de contato é fundamental para você, use-a a seu favor
O cérebro aprende por meio de experiências individuais e sociais. Se você tem e nutre uma ampla rede de contatos, é comprovado que seu cérebro tem mais evoluída a parte associada a qualquer aprendizagem com conteúdo emocional. Isso significa que você aprende mais rápido em ambientes colaborativos, em grupos (presenciais ou virtuais) ou onde exista afeto. Para você, a aula particular pode ser uma tortura. E para outros, o melhor dos mundos!

5. Começar a Meditar
Ok, você já está meio cansado de ouvir que a meditação ajuda nisso e naquilo. Mas o fato é que as pesquisas científicas comprovam que a prática de meditação altera a estrutura física do seu cérebro. Melhora sua memória, sua prontidão, seu stress e sua capacidade de administrar as emoções. E tudo isso ajuda muito no aprendizado. A meditação ajuda você a manter o foco, a disciplina de começar algo e terminar, a presença integral no Aqui e Agora (sem pensar no que fez ontem e no que fará daqui a pouco).

6. Tentar se dispersar menos
Mas não é só na meditação que você pode treinar o foco. Durante o dia, você pode ouvir que chegaram mensagens do celular e tentar não ver na hora. Vença o instinto natural da curiosidade. Quando tem aquele trabalho que precisa ser concluído, experimente se impor o desafio de não dar aquela passadinha periódica nas redes sociais. Segundo especialistas, se você conseguir manter 60 a 180 minutos de concentração em um trabalho, estudo, projeto, ensaio etc – sem se distrair, você pode entrar no estado de Flow – aquele estado em que você não vê o tempo passar, e tudo flui com muito menos esforço. Se você tem um app de idiomas no celular, mas também todas as redes sociais, é mais provável que passe primeiro nas redes e depois, se sobrar tempo, no app. Que tal inverter? Sempre, em qualquer hipótese de tempinho pra relaxar, primeiro 5 minutos no app. Não se deixe dominar pela dispersão, senão no final do ano você estará exatamente onde está hoje. Pequenos passos diários já garantem algum resultado.