Existe hora certa para colocar em prática o plano B de carreira?

Sofia Esteves fala sobre mudança de carreira e diz se há ou não momento certo para começar na nova empreitada

Responder a essa pergunta não é tarefa fácil, afinal de contas, a hora certa para mim pode não ser para você, concorda? O que eu acredito, na verdade, é que a mudança de carreira tem que ser uma decisão amadurecida. Ela não pode surgir só porque você teve um dia ruim no trabalho. Não funciona assim.

Antes de se lançar em um novo caminho, é fundamental que a pessoa tenha um bom nível de autoconhecimento, porque quando nos conhecemos bem sabemos de nossas habilidades, pontos fortes e, desta forma, conseguimos traçar um plano de uma segunda carreira, seja ela em empresas ou no empreendedorismo, de forma muito mais assertiva.

Se mudar de carreira já é uma decisão, então, perca o medo da execução, mas planeje de maneira consciente. Ou seja, é importante que você saiba que tamanho tem essa transição. Por exemplo, se você está em uma área de marketing e vai para vendas, embora seja uma mudança, ela é pequena, porém, se você está na área de marketing e decide ser fotógrafo é uma mudança maior.

Quando você tem clareza sobre a dimensão da sua transição é possível saber que tipo de planejamento precisa, seja financeiro (para se manter ao longo dessa mudança) ou estratégico (para se recolocar).

Um ponto muito importante que vale destacar é que toda mudança de carreira é, no mínimo, um passo para o lado. No entanto, de forma mais realista, é um passo para trás, pelo menos até você poder ganhar cadência de novo, então, é muito valioso que você se prepare para esse momento: alinhe a transição com sua família, descubra e desenvolva as habilidades que precisa adquirir para esse novo papel.

Do mesmo jeito que é uma tendência as pessoas mudarem de carreira, mais de uma vez, ao longo da vida, também é uma tendência que elas administrem várias carreiras ao mesmo tempo.

Afinal, é possível ter um trabalho do dia a dia e outro que complemente a renda, normalmente, isso acontece por meio de um hobby. Às vezes, essa atividade que começou como um passatempo acaba virando um plano B, a partir do momento que ela cresce, cria corpo e permite uma transição de carreira definitiva.

Atualmente, ter vários trabalhos, além de dar uma segurança financeira maior, também coloca os profissionais nesse cenário contemporâneo de ter várias atividades em que uma complementa a outra, não apenas do ponto de vista financeiro da renda, mas também do repertório que se amplia.

Por exemplo, imagine que um funcionário de uma empresa, com estabilidade e cargo definido, também tem uma veia empreendedora e decide começar a fazer trufas em casa e vender. Nesse processo, essa pessoa descobre e desenvolve competências e habilidades que são totalmente diferentes daquilo que ela faz no seu dia a dia, mas que ela consegue fazer com que uma coisa vá conversando com a outra.

Para concluir, eu acredito que a hora certa de colocar o plano B em ação só você pode saber, mas se tiver planejado esse momento a chance de ele dar certo é muito maior. Pense nisso!

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luís Ferracini

    Aprenda FALAR INGLÊS! A Revista Exame e a Empresa Catho afirmam que quem fala inglês vale 61% a mais, em média, do que quem não fala inglês e eles também afirmam que o número de pessoas desempregadas é muito maior entre os que não falam inglês. Encontrei um método para APRENDER INGLÊS (http://bit.ly/2sXQbcP) que mostra como em 8 SEMANAS você pode ter o resultado que levaria 5 anos para alcançar em outras escolas de inglês. Fantástico!