Ex-apresentadora da Globo vê racismo em sua demissão de programa

A emissora de televisão divulgou nota defendendo que a acusação da ex-apresentadora negra "não procede"; entenda o caso

São Paulo – A ex-apresentadora e repórter da Globo Alinne Prado, que comandou o Vídeo Show por dois anos, comentou nas redes sociais que sua demissão no ano passado pode ter motivos racistas.

“Apesar de ser a primeira negra a sentar na bancada do programa, fui demitida sob justificativa de que, apesar de gostarem muito do meu trabalho, precisavam de alguém mais ‘neutro’ (sic)”, escreveu Alinne.

Ela continua o texto dizendo que o quadro de repórteres aumentou, apesar da emissora ter alegado que sua demissão era por conta da necessidade de enxugar o quadro de profissionais. “Nunca falei disso publicamente, mas me dói demais ver isso acontecer. São as chibatadas contemporâneas”, comentou.

A publicação ocorreu após reações ao anúncio das ex-BBBs Vivian Amorim e Fernanda Keulla como apresentadoras do Vídeo Show, e Ana Clara, como repórter. Houve o questionamento sobre a falta de diversidade do programa e Alinne foi citada entre os comentários.

Apesar de ter respondido e revelado sua indignação com a Globo, Alinne afastou a ideia de que culpa as novas integrantes do programa. “Não é nada contra as meninas do vídeo show. Inclusive as sigo e sou fã delas. É contra a colonização do nosso imaginário. Só podemos aparecer na tv se for em situação de subserviência e sofrimento. E sempre como cota. É contra acharmos que não existe racismo”, escreveu.

Em nota enviada a EXAME, a Globo defende que não houve racismo na demissão, justificando com a própria trajetória e experiências da profissional dentro de diversos programas. Leia na íntegra:

“A trajetória de Alinne Prado na Globo por si só mostra que essa acusação não procede. Durante 6 anos, Alinne Prado passou por 4 programa na Globo. E em todos pode atuar em diferentes funções, como repórter ou apresentadora. Alinne entrou em 2011 na Globonews, onde ficou até 2012, quando foi transferida para o Entretenimento da Globo para ser umas das repórteres do programa ‘Encontro Com Fátima Bernardes’. Em 2015, Alinne teve a oportunidade de integrar o time do ‘Vídeo Show’ fazendo reportagens e apresentando o programa, onde permaneceu até 2017. Com os ajustes no Vídeo Show, Alinne ainda foi escalada para trabalhar na equipe de reportagem do ‘Mais Você’, no ano passado, por dois meses. Após essa passagem pelo programa, seu contrato chegou ao fim e não foi renovado, numa dinâmica comum a qualquer outro profissional ou empresa”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Roberto Neves Almeida

    Sem entrar no mérito da questão, que é de natureza comercial da empresa, PASSO AO IMEDIATO REPÚDIO E BOICOTE a programação da emissora USEIRA E VEZEIRA EM PRÁTICAS DESTE JAEZ no passado recente.

  2. Globolixo!

  3. waldomiro machado vieira

    A globo acusa muita gente de racismo e agora, casa de ferreiro o espeto é de pau.

  4. Renato Saraiva

    Quanto mimimi…uma empresa não pode mais demitir pessoas que não interessam mais nos seus quadros. Quantas pessoas brancas foram
    e serão demitidas antes e depois dela? Ah faça-me o favor!

  5. HORÁCIO Lima

    Na rede esgoto, o negro é para fazer papel de escravo ou empregada doméstica nas novelas horrorosas que produzem. Enquanto existir esse lixo, o Brasil não dá um passo a frente.