Estes erros de português são bastante comuns, segundo professor

Professor Diogo Arrais acaba de lançar um e-book gratuito com os 50 deslizes mais comuns em português

Hoje é um dia muito especial: o lançamento do meu e-book gratuito, com dicas preciosas para falar e escrever bem no dia a dia profissional.
Como tema desta semana, listo aqui alguns deslizes comuns no mundo das Mídias Sociais. Veja o trecho abaixo:

“Vai ser dificil mais vai valer a pena ter seu produto online”

HÍFEN
No registro oficial, “on-line” é expressão com hífen. Outra crítica está no uso de “mais”, em vez de “mas” (desvio muito comum). Com a reescritura, será feita a alteração quanto aos verbos:

“Pode até ser difícil, mas valerá a pena ter o seu produto on-line.”

CONCISÃO, CORREÇÃO E CLAREZA
Concisão, correção e clareza são, pois, pilares de um ótimo escritor, palestrante, comunicador.
Para ser conciso, brevidade no falar e no escrever, o profissional precisa eliminar expressões “embromatórias”:

“Eu escreverei a petição se não houver, como ocorreu ontem, por volta do meio-dia, quando me preparava para realizar uma prova, baixada na Internet, e alguns amigos foram à minha casa, de sunga, para que fôssemos à praia, alguém para me interromper.”

Bastaria que o trecho acima assim expusesse:

“Redigirei a petição se não houver alguém para me interromper.”

MODISMO
Dentre os mais estranhos modismos, um está em usar “enquanto” no sentido de “na função de” ou “sob o aspecto de”:

“Ele, enquanto presidente-interino, deve assumir todos os riscos da Economia.”

A palavra “enquanto” indica tempo simultâneo e exige correlação de tempo verbal. Vamos a um caso coerente:

“A inflação cresceu enquanto a renda dos assalariados caiu.”
(relação pretérito-pretérito)

Clique neste link para receber o e-book de graça

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
Arrais Cursos
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa