Estudante que tuitou frases racistas é desligada de escritório

Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco deve entrar com uma ação judicial contra a estudante de Direito Mayara Petruso

São Paulo – Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira (3), o escritório Peixoto e Cury Advogados, de São Paulo, informa que a estudante de Direito Mayara Petruso não faz mais parte de seu quadro de funcionários.

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Pernambuco entrará com um processo contra a estudante por racismo. Mayara é acusada de publicar comentários racistas contra nordestinos na rede de microblogs Twitter. Os posts foram ao ar no domingo, logo após a divulgação da vitória de Dilma Rousseff (PT) nas eleições presidenciais.

Em um deles, a estudante de Direito teria escrito: “Nordestino não é gente. Faça um favor a SP: mate um nordestino afogado!”.

À EXAME.com, a Peixoto e Cury Advogados, por meio de sua assessoria de imprensa, negou que a demissão tenha relação com o caso e também recusou-se a informar quando a estudante deixou o escritório.

Na nota enviada à imprensa, o escritório lamenta o ocorrido: “Com muito pesar e indignação, [o Peixoto e Cury Advogados] lamenta a infeliz opinião pessoal emitida, em rede social, pela mesma, da qual apenas tomou conhecimento pela mídia e que veemente é contrário, deixando, assim, ao crivo das autoridades competentes as providências cabíveis”.

Nesta quinta-feira, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Pernambuco deve pedir ao Ministério Público Federal, em São Paulo, a abertura de uma ação penal contra estudante por racismo e incitação pública ao ato delituoso.