Erre mais

Assumir riscos é fundamental para crescer na carreira

São Paulo – Neste ano, Marcelo Mariaca, de 65 anos, completa duas décadas à frente da consultoria de recrutamento de executivos que leva seu nome e é uma das mais requisitadas por grandes empresas brasileiras. Hoje a Mariaca também oferece serviços de coaching e recolocação.

No mês passado, Marcelo lançou o livro Erre Mais (Campus/Elsevier, 39,90 reais), no qual aconselha profissionais a assumir mais riscos para crescer na carreira. “O medo de errar não pode se tornar um impedimento para seguir em frente”, diz. A seguir, o headhunter comenta quatro dos 65 conselhos presentes no livro. 

Transmita a mensagem certa

 “Quando você está à procura de emprego, deve agir como no lançamento de um produto e apostar na divulgação. Quanto mais pessoas souberem que você é qualificado e está disponível, melhores serão as chances de que a informação chegue à pessoa certa.

Ainda que esteja preocupado, tente não demonstrar. Ninguém contrata alguém desesperado. As empresas querem pessoas entusiasmadas, cheias de energia, que entrem para resolver os problemas, e não criá-los.”

Nunca diga que está atrás de novos desafios

“Perseguir o novo demonstra curiosidade e ousadia, características valorizadas no mundo corporativo, mas a expressão ‘Buscar novos desafios’ está gasta. Parece que o candidato não sabe o que dizer e pode dar a impressão de que a carreira não é importante, ou que não há um objetivo profissional.


É uma conquista quando conseguimos identificar o que queremos e temos plena consciência do nosso valor. Se houver várias alternativas, e não estiver completamente decidido, não tem problema, mas é importante conhecer as nuances de cada uma delas.”

Se você está descontente, mexa-se

 “O sentimento de desânimo ao pensar no trabalho pode ser mais comum do que imaginamos e é facilmente detectado.Rolar de um lado para o outro da cama ao acordar, sem a menor vontade de ir para o escritório, é um desses indícios.

É importante, ao perceber esses ‘sintomas’, tomar logo alguma atitude, antes que eles se alastrem por sua vida pessoal e roubem mais ainda sua energia. O primeiro passo é uma boa dose de autoconhecimento e uma conversa franca na empresa. Será mais fácil resolver o problema se a pessoa souber os verdadeiros motivos do descontentamento, expô-los com clareza e propor soluções.” 

Regue a planta da amizade

“Ainda que passemos a maior parte de nosso tempo ao lado de colegas de trabalho, eles não devem ser as únicas pessoas com as quais nos relacionamos. Pesquisas mostram que quem não se aproveita de uma forte rede de relacionamentos fora do ambiente familiar e profissional tem de duas a três vezes mais propensão a morrer jovem.

Todos merecemos um momento de descontração. É sempre bom ter por perto amigos que compartilhem nossos valores, experiências e interesses, ainda que não agreguem nada, diretamente, à nossa carreira.”