Empregados da Nextel podem ter mais férias e horário de trabalho livre

Em processo de venda para a América Móvil, dona da Claro, a Nextel Brasil se orgulha da autonomia que oferece aos funcionários

No fim dos anos 90 e começo dos 2000, era raro não ouvir o barulhinho do rádio da Nextel. Mas a comunicação móvel mudou e esse serviço tornou-se obsoleto.

Tanto que, no ano passado, a Nextel encerrou suas atividades da rede de radiotransmissor. Em busca de transformação, a empresa entrou no mundo dos smartphones oferecendo planos e se orgulhando de seu atendimento ao cliente — reconhecido pelo site Reclame Aqui, em 2018, como a operadora que mais responde aos consumidores.

Embora só tenha 1,5% do mercado, a companhia de 2 800 funcionários está na mira da América Móvil, controladora da Claro no Brasil, que ofereceu 3,47 bilhões de reais para comprar suas ações.

A oferta está em aprovação pelo Cade, o que deverá levar de cinco a sete meses. A empresa continua operando normalmente e os funcionários aguardam as mudanças.