Diga adeus à ansiedade na entrevista de emprego

Especialistas ensinam cinco passos para controlar o medo e o frio na barriga durante um processo seletivo

São Paulo – As mãos ficam ora geladas, ora trêmulas. O tempo todo, encharcadas de tanta ansiedade. O coração parece querer pular pela garganta. Falta ar para completar as respostas. Com sintomas assim, é quase impossível mostrar-se interessante o suficiente para conquistar uma oportunidade de emprego.

“A sociedade é refém de suas emoções e não é controladora delas”, afirma Orlando Pavani Jr, CEO da consultoria Gauss Consulting. No entanto, segundo ele, algumas técnicas e cuidados antes e durante as etapas do processo de seleção são suficientes para colocar as rédeas nessa avalanche de sintomas.

Confira abaixo e nas próximas páginas os cinco passos para conquistar o equilíbrio emocional durante a entrevista de emprego:

1.    Conheça a si mesmo. Avalie a oportunidade

A estratégia número 1 para dar um baile no gelo na barriga na hora da entrevista é ter  consciência sobre as próprias habilidades profissionais e pessoais. Esse é o momento para ser honesto consigo mesmo e com os critérios que definiu para construir a própria carreira.

De nada vale apostar em uma oportunidade de emprego que não seja coerente com o seu perfil profissional. De acordo com Pavani Jr, candidatos que não possuem as características exigidas pela empresa têm mais chances de ficar ansiosos durante a entrevista de emprego. 

    <hr>                                  <p class="pagina">"A ansiedade é reduzida quando a pessoa tiver clareza de que ela precisa  mostrar exatamente o que ela é", diz. Até porque, pondera, candidatos  que fingem ter determinadas características durante o processo de  seleção têm grandes chances de encarar um processo de demissão no futuro  - exatamente por não se adequar ao perfil esperado pela empresa. <br> <br> A dica é avaliar bem o seu grau de compatibilidade com a empresa e com o  cargo oferecido. Se o grau de afinidade for alto, siga em frente. "A  pessoa precisa entrar na sala com a convicção de que realizou tudo  corretamente ao longo da carreira", explica a psicóloga Nany di Lima.<br> <br> Por isso, antes da entrevista vale fazer uma espécie de check-up de toda  a sua trajetória profissional. Avalie seus resultados. Nomeie seus  pontos fortes. Elabore argumentos que mostrem o quanto preparado para  aquela oportunidade você está. <br> <br> <br><strong> 2.    Atenção às preliminares</strong><br> Entrevista de emprego pede preparo, mas isso não significa que você deve  virar a noite revisando todos seus resultados ou as políticas da  empresa. Uma boa noite de sono é uma excelente pedida para quem, no dia  seguinte, vai encarar um processo decisivo para a carreira. <br> <br> Além disso, fique atento para a alimentação. Prefira alimentos leves e  beba muito líquido. "Por mais animado que você esteja, seu corpo vai dar  sinais letárgicos de que você se alimentou com uma feijoada, por  exemplo", diz Nany. <br> <br> Fuja também de situações estressantes - nem pense em passar as horas  anteriores à entrevista em uma fila de banco. E não perca os olhos do  relógio. Atrasos instigam a  combustão perfeita para uma explosão de  ansiedade durante a entrevista. <br> <br> <strong>3.    Silencie-se</strong><br> No caminho para o lugar onde será feita a entrevista, concentre-se na  sua respiração. Para relaxar, opte por movimentos de inspiração e  expiração profundos e pausados. <br> <br> Para lidar melhor com o tempo na sala de espera, tenha sempre uma boa  leitura à mão. Vale levar um livro de literatura ou uma revista semanal.  Mas, cuidado, para não acabar com sua reputação com esse simples item.</p>        <hr>                                                               <p class="pagina"><strong>4.    É uma via de mão dupla</strong><br>    Durante a entrevista, não pense que você é o único na berlinda. Do outro  lado da mesa, o recrutador também está com os dedos cruzados torcendo  para encontrar um profissional compatível com o perfil procurado pela  empresa.</p>

Dessa forma, não entre na sala com a sensação de que você terá que implorar pela oportunidade. Antes, comece o bate-papo com o recrutador com a certeza de que aquele momento também é decisivo para ele e de que a sua única missão é se mostrar interessante o suficiente.

5.    Não se deixe levar
Mostrar-se interessante, contudo, não significa encarnar um personagem que não é você. Se, na hora da entrevista, a ansiedade é sua pior inimiga, a espontaneidade é a melhor parceira.

Por isso, não se deixe levar pelas aparências. O ambiente pomposo, o ar austero do recrutador e até a elegância da recepcionista podem alimentar a ansiedade. Para fugir disso “pense que as grandes corporações compõem um cenário onde humanos, com figurinos, habitam”, afirma Nany.

Como bons humanos eles também são recheados de pontos fortes e fracos. Exatamente como você. “Dentro de nós há um mundo rico e vasto. Mas não acessamos e, por isso, metemos os pés pelas mãos”, diz a psicóloga.

A dica, de acordo com Pavani, é não se deixar controlar pelas próprias emoções. “Na entrevista é comum que o medo de não ser aprovado domine o candidato. E isso é percebido facilmente pelo recrutador”, diz.

6.  Use a seu favor
Segundo o especialista, a inteligência emocional, ou a capacidade de lidar bem com as próprias emoções, deve ser desenvolvida ao longo de toda a vida.

E as fases de um processo de seleção podem ser bons momentos para lapidar essas competências emocionais. Por exemplo, o fato de não ser aprovado em uma entrevista de emprego pode ser uma boa oportunidade para repensar a própria trajetória profissional.

“O candidato não deve aceitar pacificamente o ‘não’. Deve ter sempre um questionamento sobre as razões para isso”, diz Nany. A partir dessa avaliação, a dica é construir uma base sólida de confiança para enfrentar o próximo processo de seleção. 

Leia mais: As 13 perguntas mais clássicas de entrevista de emprego