Cristiano Ronaldo oferece bolsas de estudo em universidade italiana

O jogador aparece na nova campanha publicitária da faculdade e também está financiando 36 bolsas de estudo em curso para virar influenciador

Italianos com ambições de se tornarem influenciadores de moda como a conterrânea Chiara Ferragni agora podem se matricular em um programa de graduação para aprimorar suas habilidades no Instagram.

A universidade on-line eCampus, promovida pelo jogador de futebol Cristiano Ronaldo, oferece o diploma de influência em redes sociais em um novo curso de três anos. Ronaldo, que aparece na nova campanha publicitária da faculdade, também está financiando 36 bolsas de estudo como parte de seu compromisso.

O objetivo do curso é “preencher a lacuna educacional atual” e ajudar alunos a adquirirem as habilidades técnicas necessárias para seguir uma carreira de influenciador, segundo comunicado publicado no site da universidade italiana. O eCampus oferecerá aulas de psicologia da moda, semiótica e filosofia da linguagem, história da TV, comunicação intercultural e tecnologia da informação, entre outras. A instituição, que também oferece diplomas em engenharia, direito, artes e psicologia, tem mais de 30 mil alunos matriculados, de acordo com o site.

Com muitos seguidores, um número cada vez maior de blogueiros, Instagrammers e You-Tubers agora ganha a vida como como influenciadores. Empresas, marcas e até países aproveitam a exposição dos influenciadores nas redes sociais, oferecendo contratos de marketing lucrativos. O The Blonde Salad, o blog de moda mais popular do mundo criado por Ferragni, até virou objeto de estudo da Harvard Business School.

Ferragni, provavelmente a influenciadora italiana mais conhecida do mundo, possui 17,5 milhões de seguidores no Instagram. No mês passado, um documentário sobre sua vida na Itália, exibido em três dias, arrecadou mais de 1,6 milhão de euros (US$ 1,76 milhão) e foi o documentário mais assistido no país.

“Muitas pessoas interpretaram mal o fato de que tentar ser um influenciador e saber trabalhar com marketing de influenciador e marca pessoal não são a mesma coisa”, disse Maurizio Pasquetti, diretor de marketing da eCampus, em entrevista por telefone. “Há conhecimento técnico e específico que você precisa dominar.”

O anúncio sobre o programa de graduação provocou um intenso debate nas redes sociais na Itália, como o questionamento se um influenciador pode ser considerado uma profissão. Muitos também elogiaram o curso, pois o programa pode ajudar jovens e pessoas inexperientes a desenvolver habilidades de marketing em um país onde o desemprego juvenil chega a 27%.