Conheça as 10 empresas mais desejadas por três gerações de profissionais

Ranking anual integra pesquisa da Cia de Talentos e leva em conta jovens, média gestão e alta liderança

Centro de Engenharia do Google em Belo Horizonte Centro de Engenharia do Google em Belo Horizonte: empresa é a mais desejada entre profissionais

Centro de Engenharia do Google em Belo Horizonte: empresa é a mais desejada entre profissionais (Google/Divulgação)

São Paulo – Pela sexta vez consecutiva, a Google é a empresa mais desejada por profissionais de diferentes gerações e hierarquias. Este é o resultado da edição 2019 da pesquisa Carreira dos Sonhos, feita pela consultoria Cia de Talentos e obtida com exclusividade por EXAME.

O ranking tem base em dados coletados de três gerações e hierarquias profissionais: universitários ou recém-formados, funcionários de média gestão e a alta liderança de empresas.

“Passamos a maior parte de nossas vidas no trabalho, então queremos empregos que se ajustem ao nosso estilo de vida, que ofereçam oportunidades de crescimento e nos conectem a um propósito”, diz Danilca Galdini, diretora de pesquisa do Grupo Cia de Talentos. Segundo ela, o desenvolvimento constante, a abertura para a inovação e as políticas de trabalho flexível explicam a preferência do público pela Google, que figura no topo da pesquisa ininterruptamente desde 2014.

Escritório da Nestlé Estagiários da Nestlé: empresa é uma das mais atraentes para o público jovem

Estagiários da Nestlé: empresa é uma das mais atraentes para o público jovem (Germano Lüders/EXAME)

Em segundo lugar, também para as três gerações, está a Nestlé. De acordo com Danilca, o que atrai na gigante da indústria de alimentos é a capacidade de transformar o setor em que está inserida, além de sua cultura organizacional. A conexão da Nestlé com o público jovem foi impulsionada por programas de desenvolvimento profissional criados pela empresa — exemplos são o Programa de Estágio Fast, que possibilita rotação rápida nas áreas da organização e maior proximidade dos gestores, e o Projeto Nutrindo Sonhos, com treinamentos profissionais voltados para jovens de 14 a 24 anos.

Apesar dos envolvimentos em escândalos, a Petrobras ainda é presente nas listas. Isso se explica, em parte, pela rápida resposta que a empresa teve após a exposição midiática negativa, com a troca de parte significativa do corpo diretivo. “Nesta época, fizemos uma série de grupos focais para entender como os participantes da pesquisa viam a questão da falta de ética nas empresas”, diz Danilca. “Ficou claro que os respondentes entendiam a corrupção como uma escolha do profissional, e não como uma decisão corporativa.”

Escritório do Nubank em São Paulo Escritório do Nubank em São Paulo: pela primeira vez, uma startup aparece no ranking

Escritório do Nubank em São Paulo: pela primeira vez, uma startup aparece no ranking (Nubank/Divulgação)

O ranking marca, ainda, a crescente relevância das startups no mercado de trabalho. Pela primeira vez, uma (não tão) pequena tecnológica entra na lista: a fintech Nubank aparece nas preferências dos jovens e dos profissionais de média gestão. Os motivos são, basicamente, os mesmos fatores de atração de talentos das outras empresas — a inovação, a possibilidade de aprendizado e as políticas de flexibilidade. “A questão não é, especificamente, ser uma startup, mas oferecer o que é desejado pelos profissionais”, diz Danilca. “O histórico da pesquisa mostra que o porte da empresa é cada vez menos importante, e que o profissional atual entende que a construção de uma carreira de sucesso pode ser feita em qualquer lugar que ofereça boas condições para isso.”

Confira a lista completa.

Jovens
1) Google
2) Nestlé
3) Itaú
4) Petrobras
5) Ambev
6) ONU
7) Bayer
8) Natura
9) Nubank
10) Globo

Média gestão
1) Google
2) Nestlé
3) Natura
4) Petrobras
5) Itaú
6) Ambev
7) Vale
8) Unilever
9) Johnson & Johnson
10) Nubank

Alta liderança
1) Google
2) Nestlé
3) Natura
4) Amazon
5) Itaú
6) Apple
7) Disney
8) Johnson & Johnson
9) Ambev
10) Petrobras