Como procurar emprego sem entrar numa saia justa

Saiba quais cuidados você deve tomar para não manchar sua reputação na empresa atual enquanto procura novas perspectivas de carreira no mercado

Normal
0

21

false
false
false

PT-BR
X-NONE
X-NONE

MicrosoftInternetExplorer4

/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin:0cm;
mso-para-margin-bottom:.0001pt;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:10.0pt;
font-family:”Times New Roman”,”serif”;}

São Paulo – A situação não é incomum: você está na sua atual empresa, mas pretende mudar de ares e seguir carreira em outro emprego. Seja porque você não está mais satisfeito, ou acredita que o atual ciclo de carreira esteja no fim. Ou, até mesmo, porque sabe que, com a sua competência e experiência, ainda há chances para obter um cargo melhor em outras empresas no mercado.

No mundo real, a busca pode se transformar em uma verdadeira saia justa. Nada mais constrangedor do que ser flagrado atualizando um currículo, ou pior, conversando com um headhunter ao telefone.

Exame.com conversou com especialistas e com a ajuda deles reuniu recomendações para que você continue nessa saga – sem manchar sua reputação na atual empresa.

1 Discrição

Marcelo Mariaca, fundador e presidente do conselho de sócios da Mariaca, recomenda que tudo precisa ser feito com extremo cuidado. Ser discreto é essencial.

O primeiro passo é pedir confidencialidade ao recrutador. Ele vai entender que não seria oportuno, por exemplo, se o seu chefe descobrisse que você está procurando um emprego através de terceiros.

“Se o recrutador ligar durante o expediente de trabalho, dispense”, ensina Marcelo. Não há outra saída. José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, diz que, não procuraria um novo emprego sem o reconhecimento do superior. Mas se deparasse nessa situação, ele recomenda ser sincero com a pessoa do outro lado da linha.

O ideal é explicar que o melhor horário para conversar é o do almoço ou depois do expediente. Essa atitude demonstra respeito à empresa atual e compromisso.

Outra dica importante: não mude o seu comportamento da noite para o dia. Da maneira de lidar com suas tarefas à maneira de se vestir. Há a possibilidade da busca não render bons frutos, e você permanecer no mesmo emprego.


2 Perfil na rede social

Uma ferramenta útil que pode ajudar nessa busca “secreta” é a rede social. Mariá Giuliese, diretora executiva da Lens & Minarelli, empresa especializada em outplacement, diz que pode ser uma boa alternativa, “desde que você faça tudo com elegância e não exponha de forma explícita que você está disponível”. Principalmente se o seu chefe está na sua lista de contatos.

Por isso, mantenha o seu LinkedIn, por exemplo, sempre atualizado na área de experiência profissional. Mas, cuidado, não acrescente tudo de uma vez, caso ele esteja desatualizado.  É melhor que você complete de forma gradual, para não chamar a atenção.

Edward Yang, professor de MBA da Fundação Getúlio Vargas (FGV) explica que até o Facebook pode servir de rede para contatos profissionais. Pois é uma boa forma de se expor, mas sem ser explícito demais. As pessoas que se interessarem pelo seu currículo e passagens profissionais prestará atenção.

3 Dois lados

Por mais tentador que possa ser, não envolva a atual empresa na busca por um novo emprego. É preciso cuidado especial e paciência, pois os profissionais da sua área constantemente mantêm contato. É preciso ter clareza na hora de agir, para que o nome da empresa não seja citado, para conseguir um contato para mandar seu currículo, por exemplo.

Marcelo Mariaca ainda completa que a honestidade nessas horas, ajuda. Caso você esteja conversando com um cliente ou amigo da empresa atual, peça confidencialidade no seu pedido e mostre, por exemplo,  que está à disposição para novos desafios.

4  Indicações

No momento em que você conseguir uma oferta de emprego, é comum que o recrutador peça referências. Mas, lembre-se, elas têm de ser inteligentemente escolhidas. Não corra o risco de o seu superior ser consultado, a menos que você tenha pedido autorização previamente.

Por isso dê referências anteriores e explique não é possível indicar referências atuais. Palavras de Mariá Giuliese.