Como não passar vergonha na festa da firma

Para não cometer nenhuma gafe durante a festa da firma, preparamos uma série de dicas com a ajuda de especialistas em recursos humanos

São Paulo – Em clima de final de ano, muitas empresas costumam organizar uma confraternização para celebrar resultados e motivar seus funcionários.

No entanto, muitos profissionais acabam interpretando o evento como um momento para extravasar o estresse acumulado no ano, e exageram na bebida, aproveitam para falar mal do chefe ou adotam outros comportamentos inapropriados.

Atitudes como essas podem queimar o filme e fazer com que o funcionário perca futuras oportunidades de carreira na empresa.

Para você não cometer nenhuma gafe durante a festa da firma, INFO preparou uma série de dicas com a ajuda de especialistas em recursos humanos. Confira:

Marque sua presença e faça networking

Muitas pessoas não gostam de festas e preferem ir para casa mais cedo no lugar de se juntar aos colegas na confraternização da firma.

Mas é preciso cuidado. O profissional pode estar perdendo uma boa oportunidade de fazer networking com as várias áreas da empresa e se destacar para oportunidades futuras com seu gestor.

Para o especialista em desenvolvimento de pessoas Rogério Boeira, da Escola Cultman, a confraternização pode ser uma boa ocasião para conversar com os colegas de trabalho e interagir com pessoas diferentes.

“Para conseguir interagir de maneira inovadora, é preciso buscar pessoas diferentes, com quem normalmente não temos tanto contato. A diversidade é essencial para gerar novas oportunidades”, afirma.

Mantenha a classe

É preciso ter em mente que a confraternização é essencialmente um evento corporativo e, por isso, existem certos limites que não devem ser ultrapassados, especialmente com o gestor.

“Por mais que o chefe seja bacana, não o trate como se fossem velhos amigos, seja simpático e divertido sem ser chato. Ao encontrar com um superior ou diretor jamais abrace, beije ou brinque de forma exagerada, seja atencioso e alegre”, afirma a diretora e coach corporativa Fátima Mangueira, da Mira RH.

O evento também não deve ser interpretado como uma oportunidade para paquerar.

“Não se mistura amizade com intimidade em ambiente de trabalho. Em muitos casos, esse envolvimento acaba em demissão. Portanto, paquera na festa de fim de ano pode ser arriscado”, diz Fátima.

Exagerar na bebida também está fora de cogitação. “Seja elegante e beba apenas socialmente na festa. Lembre-se que, apesar de ser uma festa, todos estão prestando atenção em você”, afirma Fátima.

Como se vestir?

Muitos podem ficar em dúvida sobre o que vestir em um evento que é corporativo e descontraído ao mesmo tempo.

Para a coach Fátima Mangueira, tanto homens quanto mulheres devem tomar cuidado com exageros na escolha do visual.

“Uma dica é apostar em peças clássicas e em cores da moda, mas neutras. Usar um look atual e moderno cai bem para todas as ocasiões, principalmente esta”, diz.

“Para as mulheres, uma dica simples é: pode ser um pouco justo, pode ter um pouco de decote e ter brilho, mas nada em excesso”, afirma.

Aproveite para relaxar e se divertir

Não é porque você está com os colegas do escritório que precisa ficar falando de trabalho o tempo todo. Durante a festa, tente se divertir e conversar de maneira descontraída com todos.

“O momento é de celebrar. Não é apropriado fazer sessões de feedback, acertar itens que estão em pendência ou ficar a noite toda conversando somente com uma pessoa”, diz a gestora de RH Carolina Fernandez, da consultoria C2M, .

Participar ou não participar?

Está em dúvida se quer participar e tem medo de ser prejudicado caso não compareça ao evento?

Segundo a gestora de RH da consultoria C2M, Carolina Fernandez, tudo depende muito da cultura da empresa.

Em organizações maiores, por exemplo, a participação ou não de um funcionário não causa tanto impacto.

Já em empresas familiares, onde todos se conhecem, participar e socializar com os colegas e gestores pode fazer toda a diferença.

“É elegante e respeitoso você comunicar, pelo menos a seu líder imediato, sua decisão de participação ou não”, diz.

Posso ser demitido por algum comportamento que tive na festa?

Extrapolar os limites da relação com os colegas do escritório, beber demais e fazer comentários agressivos são algumas atitudes perigosas para uma pessoa em qualquer ocasião, principalmente quando diretores e outros funcionários com quem não se tem tanta intimidade estão presentes.

“Cometer gafes ou ser o protagonista de situações incômodas para os demais colegas podem trazer reflexos para as relações de trabalho e até para a carreira”, diz a coach Fátima Mangueira.

“Dependendo do perfil da empresa, local do evento e ato cometido, o funcionário que passar dos limites pode ser advertido, suspenso e até demitido”, diz.

Para a gestora Carolina Fernandez, ninguém é demitido apenas por um item. Então, o mau comportamento pode ainda ajudar em uma decisão de demissão que já estava em processo.

“Sempre indico que o comportamento e sua atitude servem como seu cartão de apresentação, claro que somado a outros itens. Somos pessoas e representamos papéis. Cada um decide como quer ser visto pelo o mundo que o cerca”, afirma Carolina.