Como montar um plano de estudos para concurso público?

Rogério Neiva explica quais os passos para organizar sua rotina de estudos

Como montar um plano de estudos para concurso público?
Respondido por Rogerio Neiva, juiz e professor de cursos preparatórios para concursos


O plano de preparação para um concurso público deve visar tanto à apropriação cognitiva do conhecimento exigido quanto à manutenção e ao aperfeiçoamento dessas informações.

O primeiro elemento do plano estratégico para adquirir as informações necessárias é definir quais cargos e concursos fazem parte de seus objetivos. A partir disso, o candidato deve pesquisar quais matérias e conteúdos são exigidos para cada concurso público pretendido.

Com um viés tático, o terceiro ponto essencial para estruturar seu plano de estudos é definir quais serão as fontes e, por conseqüência, os métodos e meios para estudá-las. Depois disso, é hora de mensurar quanto tempo será dedicado à preparação para o concurso.

O passo seguinte consiste na montagem da grade de matérias. Para isso, é importante contar com critérios racionais de otimização de esforços intelectuais e cognitivos. Nesse ponto, vale seguir o Princípio de Pareto. Assim, prefira alocar as matérias mais relevantes ou difíceis, segundo a sua percepção, para os momentos de maior disponibilidade intelectual e física.

Feito isso, é importante contar com mecanismos de monitoramento e controle. Essas ferramentas permitem que o candidato acompanhe o quanto avança no planejamento e, até, como medidas motivacionais. Uma dica, por exemplo, é construir metas de curto prazo – essenciais para que o candidato mantenha o foco no processo e não no resultado. 

Lembre-se: a estruturação e execução do planejamento de estudos e preparo torna a aprovação no concurso uma consequência lógica, racional, cartesiana e natural.

Rogério Neiva, criador do Sistema Tuctor
Rogerio Neiva é juiz do Trabalho, especialista em concursos públicos, professor  e criador do Sistema Tuctor