Como fica a alimentação no dia da prova do concurso

Para especialista é essencial que o candidato não mude sua rotina de alimentação drasticamente

São Paulo – Os cuidados com a alimentação devem entrar na lista de afazeres de qualquer concurseiro. A ansiedade não pode virar desculpa para que o candidato deixe de se alimentar, ou pior, extrapolar e correr o risco de passar mal durante a prova.

Para Elon Junior, especialista em preparação física para concurso da Academia do Concurso, a principal recomendação é que o candidato evite mudar o estilo de alimentação drasticamente. Dica válida tanto para candidatos que prestarão o teste físico quanto para as provas objetivas, que tem duração de até cinco horas.

Entretanto, ele alerta que candidatos que não sentem fome durante a manhã ou não conseguem comer devido à ansiedade, devem sim se alimentar para que a taxa de glicose no sangue não fique inferior ao normal.

“A ansiedade muda bastante o comportamento do concurseiro, mas para evitar desconforto durante as provas é imprescindível a ingestão de alimentos. Comidas gordurosas devem ser evitadas para uma digestão mais rápida”, explica.

Agora, para aqueles que gostam de levar vários lanchinhos com medo de ficarem com fome durante a prova, a dica do especialista é levar alimentos práticos, como biscoitos e barras de cereal, e evitar produtos com embalagens que façam barulho ou que desconcentrem os outros candidatos.