Com ex-trainee na cadeira de CEO, Ericsson abre vagas para jovens

Liderada por um ex-trainee no Brasil, Ericsson recruta trainees e estagiários. Veja o perfil buscado pela empresa

São Paulo — A Ericsson vai abrir nesta segunda-feira (23) as inscrições para o seu programa de trainee e estágio. As inscrições podem ser feitas até 10 de novembro pelo site da empresa.

As oportunidades são para as unidades da companhia em três cidades: São Paulo (SP), Indaiatuba (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

Há 15 vagas para estágio para estudantes que estão cursando, preferencialmente, o penúltimo ano em 2018 dos cursos de ciências da computação, sistemas de informação, engenharia (elétrica, mecânica, produção, mecatrônica, eletrônica ou de telecomunicações), administração, marketing, economia, matemática ou publicidade e propaganda. É obrigatório ter inglês fluente.

Já as 5 oportunidades para trainee são voltadas a jovens com graduação concluída entre dezembro de 2016 e dezembro de 2017, em engenharia (elétrica, de telecomunicações, produção ou outras), além de administração, matemática, marketing, ciências da computação ou outro curso superior na área de TI. É requisito ter inglês fluente e disponibilidade para viajar.

Seleção e resultados

Em ambos os casos, o processo seletivo envolverá entrevistas por telefone em inglês, teste presencial no mesmo idioma, além de redação, dinâmicas de grupos e conversas com gestores da empresa.

Em nota, a Ericsson afirma que pretende encontrar os próximos líderes da companhia e que, portanto, “serão observadas características comportamentais como capacidade de inovação, foco, flexibilidade e dinamismo”.

O resultado será divulgado no fim de dezembro. Quem for aprovado deve ingressar na empresa no início de 2018.

Líderes atuais são ex-trainees

Eduardo Ricotta, presidente da Ericsson no Brasil desde julho de 2017, começou sua carreira na empresa em 1993.

“Identificar e desenvolver novos talentos no mercado está na história da empresa no país”, afirma o CEO. “O que posso garantir, como um ex-trainee que hoje ocupa um papel de liderança na empresa, é que o mercado TIC [Tecnologias da Informação e da Comunicação] é muito dinâmico e, portanto, não faltarão desafios a esses jovens”.

Assim como Ricotta,  dois vice-presidentes da companhia no Brasil, Georgia Sbrana e Marcos Scheffer, também tiveram o programa de trainees como porta de entrada na Ericsson.