Banqueiro quer 100 mi de euros por perder oferta de emprego do Santander

Banco espanhol ofereceu cargo de presidente-executivo a Andrea Orcel, mas retirou proposta ao ver que não podia atender às demandas de pagamento dele

Madri/Londres — O espanhol Santander enfrenta uma reivindicação de 100 milhões de euros de Andrea Orcel, um dos banqueiros de investimento mais conhecidos da Europa, depois que o banco espanhol lhe ofereceu o cargo de presidente-executivo, mas retirou a oferta quando não podia atender suas demandas de pagamento.

O Santander terá cerca de 20 dias para responder a uma ação civil que Orcel, de 56 anos, planeja registrar em Madri, disseram fontes próximas à Reuters nesta quarta-feira. “Orcel está reivindicando 100 milhões de euros como parte de uma ação civil por quebra de contrato”, disse uma das fontes, sob condição de anonimato.

A oferta de emprego foi retirada em janeiro, quando o Santander disse que não atenderia às expectativas de remuneração de Orcel em uma reviravolta incomum para uma nomeação bancária de alto nível.

Uma fonte próxima a Orcel disse que ainda há espaço para um acordo extrajudicial, já que o banqueiro italiano não vai desistir de seus pedidos ao banco espanhol para cumprir seu contrato. O site espanhol El Confidencial, que divulgou a notícia pela primeira vez, disse que a quantia inclui o salário que Orcel ganhava no UBS e os ganhos que ele teria recebido do Santander.