As armadilhas do home office e da jornada flexível

Confira o que pode comprometer seus resultados quando não há horário fixo para chegar ao escritório ou quando o trabalho é em esquema de home office

São Paulo – Se a adoção de jornadas flexíveis e do uso do home office é um caminho sem volta para as empresas, como disse David Ulrich, professor de gestão na Ross School of Business durante o fórum HSM – Gestão e Liderança, é preciso também que haja uma mudança de mentalidade por parte dos profissionais.

É o que defende o coach e consultor empresarial Maurício Seriacopi. “Sou contra relógio de ponto e a favor do uso do home office e da flexibilização da jornada, sinto que as empresas até querem fazer isso, mas, muitas vezes, não encontram a conscientização em seus colaboradores”, diz. 

Esta consciência a que Seriacopi se refere pode ter faltado a alguns funcionários do Yahoo! e motivado a presidente da empresa, Marissa Mayer, a banir o uso do home office. A partir de junho, todos os funcionários deverão trabalhar nos escritórios da empresa.

Muito embora há quem afirme trata-se de uma estratégia para reduzir custos e estimular demissões voluntárias, em comunicado aos funcionários Jackie Rese, vice-presidente executiva de pessoas e desenvolvimento, afirmou que “velocidade e qualidade são muitas vezes sacrificadas quando se trabalha de casa”.

A pergunta que fica é: se a produtividade tivesse crescido no Yahoo!, Mayer teria tomado esta decisão de abolir estes benefícios aos seus funcionários? Por isso é importante que quem tenha a opção de trabalhar em casa ou fazer o seu horário no escritório, fique atento a algumas armadilhas que podem comprometer os resultados desestimulando assim a adoção destes benefícios pelas empresas. Confira quais são elas, segundo dois especialistas consultados:

1 Indisciplina

É a principal armadilha para quem pode chegar a hora que bem entender no escritório ou para aqueles que podem trabalhar de casa. “Com a liberdade, muitas vezes a pessoa vai adiando e quando vê já está chegando perto da hora do almoço no escritório”, diz Seriacopi.

 O risco é estar disponível no escritório durante poucas horas do horário comercial, quando a maior parte dos funcionários está presente, diminuindo o tempo para reuniões com clientes ou outros departamentos, por exemplo.

Não ter que sair de casa também pode dificultar que o profissional entre no ritmo do expediente, diz Seriacopi. “Se trabalhar de pijama, a pessoa não entra no clima”, diz ele.“Não é porque a pessoa está a 5 metros do quarto que vai trabalhar deitado na cama”, diz o coach Homero Reis. 

Dica: mantenha uma rotina de horários, e se arrume como se tivesse que ir ao escritório. “A disciplina tem que ser a mesma de que se tivesse que estar no escritório”, recomenda Seriacopi.


2 Desorganização

Não determinar um local específico para trabalhar, usando espaços como a sala de estar ou o quarto pode comprometer a organização. 
“Esses espaços acabam sendo fuga de energia”, diz Seriacopi. Material de trabalho e objetos pessoais misturados podem resultar em perda de tempo para encontrar documentos e papéis importantes.

Dica: “É preciso transformar o ambiente em um local voltado para os negócios, com espaço para guardar livros e documentos”, indica Seriacopi.

3 Interrupções

Já que você está em casa, parentes resolvem aparecer, tarefas domésticas precisam ser feitas, telefone e campainha não param de tocar. Neste cenário manter a concentração é quase impossível.

Dica: “Avise as pessoas que frequentam a casa que você está ali para trabalhar, faça com que todos percebam e respeitem a sua atividade”, recomenda Seriacopi.

4 Falta de planejamento de metas

Para Reis, a indefinição objetiva das entregas a serem feitas é um risco. “A pessoa pode ficar sem a definição operacional da tarefa objetiva e concreta”, diz.

Sem o chefe trabalhando ao lado o tempo todo, a cobrança pode diminuir no dia a dia comprometendo as metas mensais, semestrais ou anuais. Se os horários de expediente não batem, as conversas de feedback podem não ser mais tão constantes. 

Dica: “Planejamento é muito importante no home office”, lembra Reis. Estabeleça metas diárias, ainda que o seu chefe não as determine. Tente manter conversas constantes com seu chefe, combinando previamente horários para pequenas reuniões, se a sua jornada for flexível.