Aprenda a dinamitar sua carreira com Charlie Sheen

Temporada de Two and a Half Men é cancelada após ator insultar produtor em entrevista

São Paulo – Depois de uma temporada de trapalhadas em série, o ator americano Charlie Sheen conseguiu, enfim, colocar um ponto final em um dos seriados de maior sucesso da televisão americana. No final da tarde da última quinta-feira (24), os produtores de Two and a Half Men cancelaram as gravações da temporada deste ano.

A decisão foi tomada algumas horas depois do site de celebridades TMZ publicar os insultos do ator contra Chuck Lorre, um dos criadores da série. “Com base nas declarações de Charlie Sheen, sua conduta e condição, a CBS e a Warner Bros. Television decidiram não continuar com a produção de Two and a Half Men nesta temporada”, afirmaram, em nota, a dupla de produtores do programa.

O ator, que ganhou destaque no filme Platoon (1986), atua como o personagem Charlie na série Two and a Half Men desde 2003. Em maio do ano passado, Sheen passou a receber o maior salário da televisão americana. Por episódio gravado, ele ganha 1,8 milhão de dólares.

Estima-se que cerca de 300 funcionários sejam afetados pela interrupção das gravações de Two and a Half Men.

Apesar de extravagantes, os escorregões profissionais e pessoais de Sheen nos últimos anos podem servir de exemplos dos caminhos que você não deve tomar em sua carreira. “Nós estamos muito mais expostos do que antigamente”, afirma Patrícia Epperlein, sócia diretora da Mariaca e CEO da InterSearch Worldwide. “Por isso, é necessário equilíbrio.

Confira quais as principais lições de Charlie Sheen para massacrar a sua carreira:

1. Fale mal do chefe ou de colegas de trabalho
A gota d´água para que a CBS e Warner Bros. Television colocassem Sheen na geladeira foi a enxurrada de insultos que o ator propagou ao site TMZ na tarde desta quinta-feira, 24. O alvo das palavras ácidas e de baixo calão é o criador de Two and a Half Men, Chuck Lorre, que também é produtor da série The Big Bang Theory.

Sheen, que está nas Bahamas, afirmou ao site que “odeia violentamente” o produtor, depois de convocá-lo para uma briga em meio a uma porção de palavrões. “Passei quase uma década magicamente convertendo suas pequenas moedas de lata em puro ouro. E a gratidão que recebo é esse charlatão que escolhe não fazer o seu trabalho”, disse.


Se você não é uma celebridade, provavelmente, passará o resto da sua vida bem longe dos holofotes da mídia especializada em assuntos como esse. Mesmo assim, isso não é justificativa para falar (ou publicar) o que bem entender por aí.

“As pessoas se esquecem que as informações das redes sociais são públicas”, diz Patrícia. “Falar mal do chefe ou do trabalho é suicídio”.

Charlie Sheen no filme Platoon (1986)  

Mas os riscos desse tipo de conduta não estão restritos ao ambiente virtual. Aquela ponderação básica de que ‘nunca se sabe quem é seu interlocutor” ou o clássico “as paredes têm ouvidos” deveria sempre estar presente na rotina dos profissionais, de acordo com a especialista.

2. Atrapalhe a rotina do seu trabalho com problemas pessoais
Em três meses, Sheen contabilizou três internações em hospitais que renderam atrasos nas gravações do seriado.

O pior é que as justificativas para os problemas de saúde quase sempre estavam ligadas aos abusos dele com álcool, drogas e festas. Da última vez, por exemplo, Sheen, que tem 45 anos, ficou internado após uma festa de 36 horas em sua mansão, acompanhado de atrizes pornôs.

Após essas interrupções, as gravações do seriado foram suspensas desde 28 de janeiro pois o ator começou um tratamento de reabilitação. Segundo pessoas próximas relataram à alguns veículos da imprensa de celebridades, os produtores estavam descontentes com os atrasos. Ele deveria voltar ao trabalho na próxima semana.

3. Envolva-se em questões judiciais
No ano passado, Sheen foi acusado de agressão pela então ex-mulher Brooke Mueller e foi parar no tribunal. Após o incidente, que aconteceu no natal de 2009, o ator chegou a passar algumas horas preso. Mas saiu após pagar fiança de 8.500 dólares.


O grau dos deslizes com relação à lei podem variar. No entanto, de acordo com a especialista, tudo (de uma multa no trânsito a uma transgressão mais grave) pode depor contra você ao longo de sua trajetória profissional. “Por exemplo, como posso contratar um profissional para o departamento financeiro da empresa se ele tem pendências no Serasa?”, diz Patrícia

Sheen é o ator mais bem pago dos seriados americanos (Getty Images/EXAME.com)

4. Colecione casos que coloquem sua reputação em cheque
Como um legítimo mestre da confusão contemporâneo, Sheen já destruiu o quarto de um hotel, foi encontrado nu e bêbado em outro, e, segundo uma atriz pornô, a trancou no banheiro e não pagou pelos serviços prestados.

“A linha entre postura pessoal e profissional é muito tênue”, diz Patrícia. “Tudo o que você faz pode sim manchar a sua credibilidade e a da empresa em que você trabalha”.

O caso do golfista Tiger Woods é um exemplo disso. Após o caso de adultério, o atleta perdeu o patrocínio de empresas Accenture, AT&T, Gatorade, Gillette e, mais recentemente, da revista Golf Digest. Só deste último parceiro, estima-se que Woods tenha prejuízo de 3,4 milhões de reais por ano.

Manter uma rotina de vida coerente em todos os sentidos talvez seja o único (e mais óbvio) conselho para todo profissional. Ou nas palavras do próprio Sheen: “Controle seus impulsos, tente pensar antes de fazer as coisas”, disse o ator, em entrevista ao site do jornal “New York Post” na último dia 16 de fevereiro, como conselho à atriz Lindsey Lohan. Para os fãs do seriado, é uma pena que ele não tenha ouvido a própria razão.