Após insulto antissemita, John Galliano é demitido da Dior

O estilista foi detido pela polícia após discutir com um casal em restaurante parisiense

São Paulo – No mesmo dia em que o ator Charlie Sheen provocou a suspensão das gravações do seriado Two and a Half Men por insultar o criador da série, o estilista John Galliano, da grife Dior, também deu um jeito de implodir a própria carreira.

O estilista foi preso na noite desta quinta-feira (24). Ele é acusado de agredir e insultar com comentários antissemitas um casal em um restaurante no bairro Marais, em Paris.

Em resposta ao incidente, na tarde desta sexta-feira (25), Cristian Dior anunciou a suspensão das atividades do estilista, segundo reportagem do jornal espanhol El Pais. O estilista era responsável pelo setor de moda feminino da marca Dior desde 1996.

Galliano foi liberado poucas horas depois da detenção. O teste de  bafômetro indicou 1,1mg de álcool por litro de ar, segundo a polícia.

O caso lança luz sobre a tênue linha entre as posturas pessoais e profissionais. Além de Galliano e Charlie Sheen, o golfista Tiger Woods é outro que teve sua carreira abalada após desastres pessoais. Após o caso de adultério, o atleta perdeu o patrocínio de empresas Accenture, AT&T, Gatorade, Gillette e, mais recentemente, da revista Golf Digest. Só deste último parceiro, estima-se que Woods tenha prejuízo de 3,4 milhões de reais por ano.