Amigos da USP sabem mais de economia, diz aluno de Harvard

Brasileiro que estuda economia em Harvard diz que seus amigos da USP e da FGV sabem muito mais de economia do que ele

Renan pensou em fazer engenharia no Brasil. Envolvido, desde o ensino médio, com projetos de educação para jovens de baixa renda, ele tinha dúvidas se a formação específica de uma universidade brasileira contemplaria seu desejo de estar mais próximo da sociedade. Estudando economia em Harvard, eu já fiz aulas de diversas áreas diferentes. Por mais que minha formação seja em economia, fiz aulas de psicologia, ciências da computação, filosofia, empreendedorismo…

O sistema de ensino é, realmente, muito diferente. Enquanto seus colegas que estudam economia nas melhores universidades do Brasil, como USP, FGV e PUC, têm um currículo de 6 disciplinas de economia por semestre, Renan fará 14 ao longo dos 4 anos de graduação. Segundo ele, embora isso lhe torne superficial em alguns aspectos, também lhe expõe a diversas áreas, e permite transitar entre elas.

Nos vídeos abaixo, Renan conta qual é a melhor parte de estudar em Harvard, fala sobre o modelo diferente das aulas (faço dever de casa pra caramba) e da montagem do currículo, além de explicar como ele pôde aplicar seu interesse em educação e impacto social nas suas atividades extracurriculares.

1. Estudar em Harvard é estudar com o mundo

2. Para se formar em economia, ele estudou psicologia, empreendedorismo, computação e filosofia:

3. “Meus amigos da USP, da FGV sabem muito mais de economia que eu”, conta Renan

4. Como você encaixou seu interesse por impacto social com suas atividades extracurriculares?

* Este artigo foi originalmente publicado pelo Estudar Fora, portal da Fundação Estudar