A vez das minorias

Este ano serão 42. Até 2007, 300. Eis o número recorde de bolsas de estudo que a Fundação Ford e a Fundação Carlos Chagas distribuirão a brasileiros no Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação (mestrado e doutorado). A Fundação Ford investirá 280 milhões de dólares (3,5 mil bolsas) em 21 países, durante dez anos. Serão privilegiados na seleção os candidatos carentes ou pertencentes a minorias sociais. No caso brasileiro, estão nesse grupo, por exemplo, residentes nas regiões Norte ou Nordeste e pessoas de origem étnico-racial negra ou indígena.

Pessoas comprometidas com questões sociais e que realizam trabalhos comunitários também estão na lista. As bolsas não têm valores predefinidos. Depende das necessidades de cada bolsista. Os cursos podem ser feitos em qualquer parte do mundo, nas áreas de geração de recursos e desenvolvimento comunitário, educação, mídia, artes e cultura, paz e justiça social. Haverá ajuda financeira para preparar-se para o curso (cursos rápidos de idiomas, informática e elaboração de projeto). O bolsista terá apoio financeiro por três anos de estudo. As inscrições vão até 28 de fevereiro. Mais informações no site www.programabolsa.org.br ou pelo e-mail programabolsa@fcc.org.br