7 habilidades profissionais do futuro para começar a aprender hoje

Você está pronto para as novas demandas do mercado? Confira as habilidades do futuro na coluna de Sofia Esteves, presidente do conselho do Cia. de Talentos:

Agora não importa apenas o que você sabe fazer, mas quão rápido você pode aprender algo novo.

É o que dizem as pesquisas da World Economic Forum, que levantou estudos entre milhares de gestores e lideranças sobre as habilidades que todos os profissionais devem se atentar a partir de agora, resultando no relatório – “The Future of Jobs: Employment, Skills and Workforce Strategy for the Fourth Industrial Revolution”.

A consultoria McKinsey também revelou importantes informações sobre o tema na pesquisa “Skill shift: Automation and the future of the workforce”.

De acordo com o relatório, nos EUA, as horas trabalhadas em tarefas físicas ou manuais terão uma redução de 14% até 2030. Movimento parecido acontece com tarefas que requerem habilidades cognitivas básicas. Ambas as habilidades são facilmente substituídas por automação já hoje em dia.

O que estará em alta são habilidades cognitivas avançadas, com crescimento de 8%, habilidades sociais e emocionais, com aumento de 24%, e, por fim competências tecnológicas, com alta de 73%.

Conheça as principais habilidades do profissional do futuro e entenda como você pode desenvolvê-las:

Neuroplasticidade, a capacidade de reaprender a aprender

Também conhecida como plasticidade neuronal, é a capacidade de o cérebro se adaptar a mudanças por meio do sistema nervoso. De acordo com os estudos, o mercado irá automatizar funções físicas e lógicas e realocar os profissionais para funções gerenciais, tanto de máquinas como de processos exclusivamente humanos, que contenham variáveis emocionais que as máquinas não possam prever.

Para fazer parte desse movimento é importante quebrar a ideia de que você já sabe o suficiente e começar logo a se colocar em novas experiências de aprendizado e de vivências. Só assim o seu cérebro estará apto a se abrir novamente para aprender coisas novas, é um chamado para sair da tal “zona de conforto” e ir para a zona de confronto ao desconhecido.

Uma dica importante é que os neurocientistas descobriram que a melhor forma de aprender algo é ensinando alguém sobre o assunto. Então, fica claro como o momento chama pelo compartilhamento de saberes, descentralização de poder e solidariedade entre os colegas de profissão. No novo tempo, o profissional que se achar o dono da bola e não souber dividir, vai acabar jogando bola sozinho e em casa.

Manter-se atualizado nunca foi tão importante! Pesquise quais assuntos estarão em alta no seu nicho de atuação e faça especializações. Mas, não se esqueça de absorver conteúdos gerais como marketing, política, economia, tecnologia e desenvolvimento humano.

Todas essas áreas ditam o comportamento da sociedade e, consequentemente, os assuntos que vão construir o comportamento do seu público final.

Você está pronto para abraçar o mundo?

Os sistemas de comunicação online expandiram a capacidade das empresas de compor times com pessoas de vários lugares do mundo, tornando o inglês um requisito primordial, o espanhol como diferencial e o mandarim como um novo investimento, já que a China vem ganhando extrema importância no mercado.

Mas, além dos idiomas, é importante que você esteja preparado para lidar com diferentes culturas. Estude a cultura comportamental dos países de maior entrada na sua empresa e aprenda como acolher essas diversidades.

Você é um profissional focado? E quando o trabalho acontece na sua casa?

O trabalho remoto é tendência e os profissionais devem investir no aprendizado de saber como lidar com tecnologias básicas como conferências e plataformas de gestão de projetos online, além de entender como funcionam os depositórios de arquivos em nuvem.

Mas, o principal desafio é como aprender a ser o próprio chefe e estabelecer prioridades, mantendo a constância de entregas. Invista em treinamentos que desenvolvam o seu foco, gerenciamento de tempo e  seu comprometimento para não perder a oportunidade de ganhar essa liberdade tão almejada.

Autogestão

Aqui entra o tema do autoconhecimento, qu,e por mais que possa não te atrair, será uma das melhores habilidades do futuro para quem deseja ascender profissionalmente. Afinal, os estudos indicam que a maioria dos profissionais terá que ser expert em lidar com pessoas e como fazer isso sem saber lidar consigo mesmo?

Invista em treinamentos, especializações e psicoterapias que permitam que você conheça melhor suas emoções, desenvolva inteligência emocional e  uma comunicação assertiva para criar relações saudáveis. Nesse ponto a empatia é a palavra da vez. Para saber como acolher o outro, só aprendendo a acolher a si mesmo. Vulnerabilidade é a nova inspiração.

Pensamento estratégico e empreendedorismo

O que os profissionais de sucesso têm em comum? Visão. Mas não basta apenas enxergar e sonhar. Nada acontece sem um bom plano de ação e força de vontade  suficiente para fazer acontecer.

O profissional do futuro deve aprimorar essa capacidade de enxergar além e atuar como um empreendedor, criando e sugerindo novas oportunidades de negócios, produtos, projetos e soluções às empresas.

Aprimore o conteúdo que você consome. Abra mão das redes sociais e invista o seu tempo em conteúdos que te façam pensar, questionar e te convidem à inovação, como as palestras do TED e os muitos documentários da Netflix.

Criatividade é a nova produtividade

O medo de errar afasta qualquer possibilidade de criar algo novo. Os profissionais do futuro estão sendo convidados a se envolverem com os problemas e, inclusive, com os erros ao tentar solucioná-los. Não se frustre na primeira negativa, investigue e invista toda a sua atenção mais animada para encontrar uma solução criativa.

Busque cursos e workshops que desenvolvam essa habilidade, leia livros sobre o tema, consuma arte, cinema, teatro. Expanda seus sentidos. Só um corpo acordado por inteiro consegue se manter criativo.

Sendo assim, a curiosidade é quem irá ditar quem serão os profissionais de destaque de uma empresa. Devemos pensar que no futuro as máquinas serão os responsáveis pelas respostas, e nós precisaremos ser responsáveis pelas perguntas.

Capacidade de criar conexões

Em um universo cada vez mais automatizado a conexão humana será um diferencial quando se fala sobre fidelização nas relações. Paul Zak, neuroeconomista da Universidade de Standford vem revelando muitos estudos interessantes sobre a oxitocina, como o hormônio responsável pelas boas relações e ela só é criada em nosso sistema quando há confiança entre as partes. Ou seja, invista em ser transparente, confiável e ético nas suas relações como um todo.

Além dessas habilidades, de acordo com os estudos, o mercado também espera que os profissionais desenvolvam uma boa comunicação, incluindo na escrita, capacidade de tomadas de decisão, desenvolvimento de habilidades tecnológicas de acordo com o nicho de atuação e capacidades de negociação.

Que tal checar essa lista e planejar seus estudos para o próximo ano? Boa jornada!