7 erros que você pode cometer ao pedir um aumento

Confira alguns dos equívocos mais cometidos na hora de pedir um aumento salarial - e como fugir deles

São Paulo – Início de mês é sinônimo de alívio e salário depositado na conta. Mas, se a sua remuneração não dá conta de pagar as suas contas ou não condiz com sua carga de trabalho, a data talvez seja de insatisfação. Pode ser a hora de pedir um aumento.

Segundo João Xavier, diretor geral da Ricardo Xavier Recursos Humanos, a regra de ouro para não errar nessa situação é listar seus resultados, ponderar suas contribuições e considerar a situação financeira da empresa.

Mas como começar a conversa? É uma boa ideia contar sobre os seus problemas pessoais? Vale usar aquele projeto que deu certo como argumento?

Antes de chamar o seu chefe para conversar sobre remuneração, veja 7 erros que é melhor evitar na hora H:

1. Não respeitar o momento da empresa
Se o seu empregador está passando por um período de reestruturação, corte de gastos e demissão de funcionários, espere. Pedir um aumento nessas condições pode soar como uma grave falta de sensibilidade sua.

Antes de qualquer movimento, é importante avaliar bem a situação da empresa e do seu setor para não receber um “não” óbvio – e ainda por cima se queimar.

2. Acreditar que não tem nada a perder
A lógica de que “quem não arrisca, não petisca” não se aplica nesse caso. Pedir um aumento pode mudar a forma como a empresa enxerga você. Por isso, a conversa com seu chefe deve ser ponderada e transparente.

O consultor em negociação Eduardo Ferraz sugere que você só peça aumento se achar que tem 70% de chances de ganhar.

3. Apostar em vitimismo
Emoções não conquistam seu chefe – resultados, sim. Portanto, não use como argumento problemas familiares, financeiros ou tempo de casa. Ao expor suas fraquezas como principal motivo para ganhar mais, a empresa pode interpretar como falta de organização, de energia e de motivação.

“As companhias aceitam funcionários em momentos difíceis, mas não funcionários fracos. Se você fizer papel de coitado na conversa com o chefe, é mais fácil ser demitido do que ganhar um aumento”, diz Ferraz.

Caso você esteja com problemas pessoais e queira que seu chefe e seus colegas saibam, não há problema: vá em frente e fale. Tire um dia de folga, peça para sair um pouco antes, mas não evite usar isso como argumento para falar de salário.

4. Bater o pé
O pedido de aumento é uma negociação que exige parcimônia. Propostas absurdas ofendem a outra parte – e a outra parte, no caso, é o seu chefe. Então, dizem os especialistas, a melhor postura é estar aberto ao diálogo para não fechar portas.

É importante não fixar valores, porque, nesses casos, a resposta será sim ou não. Se você for flexível, seu chefe poderá ser também.

5. Exagerar no pedido
Pedir um aumento muito alto é sinal de que alguma coisa está errada. Ou o nível de exigência da sua função cresceu demais, ou você está exagerando na ambição.

Ao pedir o dobro do valor, por exemplo, você altera drasticamente o orçamento da equipe e deixa a empresa sem manobra para negociar. Sendo assim, não dê um ultimato no seu chefe. É melhor dar uma estimativa do que deseja – contanto que ela seja realista.

6. Falar sobre vontades
A melhor maneira de pedir um aumento é falar sobre suas contribuições reais para a empresa. De nada adianta citar vontades e boas intenções de maneira abstrata se você não usar fatos para sustentar esses argumentos.

De acordo com os especialistas, o que realmente pesa na decisão de aumentar ou não seu salário é a sua produtividade. Portanto, comprove seu bom desempenho: fale sobre projetos que deram certo, contratos de sucessos, clientes satisfeitos e vendas que superaram as metas.

7. Nunca pedir aumento
Se você evitar demais o assunto, dificilmente vai ganhar mais. “Se um funcionário é produtivo, tem méritos pelo aumento e a companhia não está em crise, perde quem não pede”, defende Xavier. Sempre vai surgir algum impasse na empresa, uma alta na inflação ou queda no setor. Então, diz ele, peça com cautela, mas peça.