6 dicas essenciais para se dar bem na dinâmica de grupo

Autoconhecimento, tranquilidade, interação e um toque de ousadia são conselhos de especialistas para quem vai encarar esta “temida” etapa de um processo seletivo

São Paulo – Muita gente começa a suar e sente frio na barriga só de pensar em encarar uma dinâmica de grupo. Afinal, competir pela atenção dos recrutadores, responder às perguntas e participar das atividades propostas são alguns dos desafios que aparecem nesta etapa e estão no meio caminho entre você e aquele emprego, estágio ou trainee.

“O objetivo da dinâmica, que é um processo seletivo em grupo, é ver como o profissional vai se comportar em situações como aquela no ambiente de trabalho”, explica Liliane Veinert, sócia diretora da CV consult. 

No entanto, as competências que estão sendo avaliadas são particularidades dos processos seletivos. “Você não sabe o que a empresa está considerando como diferencial”, diz Matilde Berna, diretora de transição de carreira da Right Management. A seguir, confira algumas dicas de especialistas para ter sucesso nesta “temida”  fase do processo seletivo:

1 Aposte no autoconhecimento

“Quanto mais a pessoa se conhece, mais domínio ela tem da situação”, diz Liliane. Por isso, a especialista sugere que, antes de uma dinâmica de grupo, o profissional reflita sobre si mesmo. 

“Faça uma retrospectiva, analise quais são o seus valores e pontos fortes”, diz. Segundo ela, aspectos que ainda precisam ser desenvolvidos também precisam estar claros na mente de quem está prestes a participar de uma dinâmica. 

Ela ainda explica que, em relação aos candidatos a estágio ou a trainee, as habilidades comportamentais ficam ainda mais em destaque. “Nesses casos, é pura competência pessoal”, diz. Para as funções que exigem mais experiência o processo é composto pela junção entre a avaliação das competências pessoais e profissionais.

2 Aprofunde a pesquisa sobre a empresa

“Esse pesquisa deveria acontecer antes mesmo de se candidatar à vaga porque parte-se do pressuposto de que a escolha é mútua, a empresa escolhe o candidato e ele escolhe a empresa”, diz Liliane.

Sim, você já deveria ter feito isso, mas, se ainda não fez, é bom não perder tempo. Segundo a especialista, os pontos de aderência entre a cultura da empresa e seus valores serão mais cobrados na fase de dinâmica. 


“Quanto mais aprofunda a pesquisa sobre os valores e a missão da empresa mais garantia de ter sucesso porque a interação é diferente quando a pessoa conhece a organização”, explica Liliane.

Matilde concorda. “Pesquisar sobre a empresa é sempre muito positivo”, diz. Reportagens, de acordo com ela, dão subsídios para entender como a empresa é no dia a dia, se ela investe nas pessoas, se preza pela responsabilidade social. “Ajudam a compreender como é dentro da organização”, explica Matilde. 

Se você tiver conhecidos que trabalham ou já trabalharam lá, pergunte como é o perfil dos profissionais, como são as reuniões, se é uma organização mais formal e reservada ou mais descontraída e informal. “Todas essas informações vão ajudar a nortear a maneira como você se posiciona”, diz Matilde.

3 Mantenha a tranquilidade

Quando mais tranquilo você estiver mais facilmente você vai ficar conectado com as atividades propostas. “O medo obstrui e distorce a sua percepção”, lembra Liliane.

“É muito difícil não ficar nervoso com a situação, por isso o candidato deve lançar mão de alguma técnica para buscar a tranquilidade”, sugere Matilde. Ombro contraído, mãos apertadas, perna que não para de tremer. Fique atento aos sinais de tensão. Respiração mais profunda é uma das técnicas para relaxar. “Oxigenando o corpo você tende a ficar mais leve”, diz a especialista. 

4 Atente à maneira como você interage

A habilidade de comunicação vai fazer toda a diferença neste momento. “A empresa quer conhecer o candidato. Para ela, o profissional ainda é uma folha em branco, por isso ele precisa saber se movimentar e mostrar os coloridos”, diz Liliane.

 A voz não deve ser nem muito baixa nem muito alta. A forma de se comunicar, evitando informalidade em excesso, é essencial para você se sair bem, segundo as duas especialistas. “Não fale gíria, não use expressões inadequadas”, recomenda Matilde.

O importante, diz Matilde, é entender o que está sendo proposto pela dinâmica, entrar no contexto e participar. “Você precisa buscar espaço para se comunicar, o que não significa brigar por ele”, diz a especialista. Muito menos entrar mudo e sair calado.


Ou seja, você não precisa subir na mesa para falar, nem atropelar os outros candidatos para dar a sua opinião, apenas se comunique de forma assertiva e peça licença para falar e expor a sua opinião. Não tenha pressa em falar, observe também, saiba ouvir os outros. “Temos dois olhos e uma boca, é bom manter essa proporção”, diz Liliane.

Matilde explica que é comum, em algum momento da dinâmica, surgir uma discussão sobre um tema polêmico. “O objetivo é ver a reação dos candidatos”.

 Ela recomenda que haja um cuidado para não se prejudicar ao expor pontos de vista de forma apaixonada. “O candidato deve defender a sua ideia, mas precisa tomar cuidado para não ser agressivo”, diz.

5 Tenha cuidado com a sua postura e com a maneira de se vestir

Ficar se mexendo na cadeira e fazer gestos bruscos vão contra o que as especialistas recomendam. “É preciso ter cuidado com a postura na hora de se sentar”, recomenda Matilde.

 O dress code também é um ponto destacado pela especialista. “O jeito de se vestir mostra um pouco da personalidade”, diz Matilde. Por isso, prefira apresentar-se de forma mais alinhada e sem exageros.

6 Arrisque (um pouco)

Um toque de ousadia é a cereja do bolo em uma dinâmica de grupo já que aumenta as chances de você se destacar dos demais. “O candidato deve ser ousado em participar, fazer perguntas para o grupo, e ele não precisa ter todas as respostas na ponta da língua para isso”, recomenda Matilde.