59% dos engenheiros não trabalham na área, diz estudo

Paulo Meyer e Aguinaldo Maciente, autores do estudo, afirmaram em nota que os números exibem uma realidade natural

Um estudo do Ipea revelou números assustadores sobre o mercado de trabalho brasileiro. Os pesquisadores descobriram que 59% dos engenheiros não trabalham na área. Ocupam, na verdade, cargos relacionados ao mercado financeiro e ao ensino.

O estudo feito a partir de dados fornecidos pelo Censo de 2010 mostrou que sete em cada dez profissionais de ciência, tecnologia e engenharia não ocupam cargos típicos de suas áreas de formação.

Entre os graduados em ciências, matemáticas e computação, o resultado é ainda mais surpreendente: apenas 21% dos profissionais estão em funções comuns à profissão.

Paulo Meyer e Aguinaldo Maciente, autores do estudo, afirmaram em nota que os números exibem uma realidade natural. Isso porque a formação em carreiras como engenharia, matemática e física permite desempenhar várias atividades fora das áreas comuns.

O estudo também concluiu que os profissionais de ciência, tecnologia e engenharia apresentam, em geral, a maior taxa de ocupação entre indivíduos de nível superior.

Também tendem a ocupar com maior frequência cargos com carteira assinada e aparecem em proporção maior como empreendedores.