5 termos em inglês muito usados para falar sobre o futuro

Rosangela Souza, sócia-diretora da Companhia de Idiomas, traz cinco expressões que fazem parte do vocabulário de especialistas sobre o futuro da sociedade

* Escrito por Rosangela Souza, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto

O seu vocabulário em inglês está “up to date”? Hoje vamos ver cinco termos usados atualmente em quase tudo o que lemos e ouvimos sobre o futuro. nas pesquisas de universidades, nos relatórios das corporações, ou nos artigos da mídia. 

Disruptive force
Ser “disruptive” significa ser capaz de mudar algo para sempre e com impacto – não se refere a uma mudança lenta e gradual. “Disruptive force” então é uma força capaz de influenciar uma transformação da sociedade, como o celular e a internet por exemplo.

Glocal 
Este adjetivo foi criado com a junção de global e local. Atualmente se fala muito em “think globally, act locally”, referindo-se à necessidade de estarmos antenados com o que acontece no mundo (global), refletindo sobre os fatos, para agirmos em nosso mercado, sempre adaptando o aprendizado à nossa realidade (local). 

Cross cultural competence
A competência “cross cultural” refere-se à habilidade de entender e impactar rapidamente uma cultura diferente da sua. É saber compreender as diferenças sem preconceitos ou julgamentos, buscar similaridades e se relacionar com outros povos. 

Increasing global lifespan
Aqui a palavra menos conhecida talvez seja “lifespan”, que significa “o tempo de vida ou de expectativa de vida de uma pessoa, animal ou planta.” Usamos “increasing global lifespan” para dizer que este tempo de vida (ou de expectativa de vida) está aumentando, no mundo inteiro.

New media ecology
Ecologia pode ser definida como “o estudo da relação entre plantas, animais, pessoas e o ambiente, e o equilíbrio entre essas relações. “New Media Ecology “ se refere ao estudo dos ambientes de mídia, da relação entre as pessoas em ambientes virtuais e, finalmente, da relação das pessoas com essas mídias. O estudo do equilíbrio destas variáveis compõe o que chamamos “new media ecology”.


Rosangela Souza é fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto. Também é professora de técnicas de comunicação, gestão de pessoas e estratégia no curso de Pós-Graduação ADM da Fundação Getulio Vargas.