4 respostas para aprender mais com a prática no trabalho

Um dos criadores do work-based learning explica como funciona o método que transforma o trabalho no principal ambiente de aprendizado

São Paulo – “Os profissionais aprendem mais na prática e geralmente nem conseguem explicar como e onde aprenderam”, diz o professor Michael Eraut, um dos responsáveis pela criação do work-based learning, que transforma o trabalho no principal ambiente de aprendizado. O método já foi adotado por dezenas de instituições britânicas com o apoio do governo.

Leia abaixo a entrevista que o professor concedeu à Você S/A, em sua casa, na cidade de Lewes, no sul da Inglaterra.

– O senhor já disse que as pessoas usam no trabalho apenas metade do que aprendem na universidade. Por que isso acontece?

Michael Eraut – Um dos motivos é a velocidade das mudanças hoje. Ao final de um curso, boa parte do conhecimento que as pessoas absorveram de livros e atividades já está ultrapassada ou depende de novos conhecimentos agregados a ela.

Isso acontece em todas as áreas. Além disso, o conhecimento acadêmico por si só não é suficiente para lidar com os contextos e as demandas do trabalho.

– Por que não é?

Michael Eraut – Muita gente ainda pensa que aprendizado é só o que você consegue apresentar, colocar no papel. Mas é muito mais. No trabalho, as pessoas lidam com problemas mais complexos.

Para solucioná-los, é necessário muitas vezes recorrer a diferentes tipos de conhecimento e experiências, ser capaz de reuni-los e aplicá-los. Esse tipo de competência é pouco ensinado e avaliado nas escolas.

– Se o aprendizado é tão intuitivo, como o profissional pode saber se está progredindo?

Michael Eraut – Ele tem de analisar suas conquistas e tudo que já fez de útil no trabalho. Quais tipos de conhecimento tive que reunir para realizar determinado projeto? Quais as pessoas que me ajudaram e de que forma? Como eu ajudei outras pessoas? Conversar com colegas mais próximos, que nos observam diariamente, pode ajudar bastante.

– Por que algumas pessoas aprendem mais rápido do que outras?

Michael Eraut – A velocidade do aprendizado varia muito de um profissional para outro, e as pesquisas mostram que isso tem muito a ver com as pessoas com quem ele trabalha.

Ouvir e observar colegas e superiores é uma das principais fontes de aprendizado. No ambiente de trabalho, existem várias pessoas fazendo as mesmas coisas de maneiras diferentes e que têm muito a se ajudar.