Weintraub diz que avião presidencial já transportou mais drogas

"Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?", questionou o ministro da educação do governo Bolsonaro em seu perfil no Twitter

São Paulo — O ministro da educação Abraham Weintraub fez piada, nesta quinta-feira (27), com o caso do militar que foi preso por transportar 39 quilos de cocaína em um dos aviões que dariam suporte à comitiva do presidente Jair Bolsonaro em Osaka, no Japão, onde o presidente participa de uma reunião de cúpula do G20.

Segundo o a publicação de Weintraub no Twitter, o avião presidencial “já transportou drogas em maior quantidade”, em referência aos ex-presidentes petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

O termo “ministro da educação” se tornou o mais comentado da rede social no Brasil pouco tempo após o tuíte do ministro. Ontem, as palavras “militares” e “39 kg” ficaram praticamente o dia inteiro na lista de assuntos do momento do Twitter.

A “piada” do ministro recebeu críticas de membros da oposição e de figuras como João Amoêdo, candidato à Presidência pelo Partido Novo:

Reações

Weintraub não é o primeiro a se posicionar sobre a prisão do sargento. Também no Twitter, o ministro da justiça Sergio Moro afirmou que a situação “é uma ínfima exceção em corporação (FAB) que prima pela honra” e que “o caso será “devidamente apurado pelas autoridades espanholas e brasileiras”.

O presidente da república em exercício Hamilton Mourão disse que o militar “estava trabalhando como mula” e que as Forças Armadas “não estão imunes a esse flagelo da droga”.

Já o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o sargento “merece punição severa” e que o “ocorrido é inaceitável”.