Votação do processo de Demóstenes pode ficar para o 2º semestre

A afirmação foi feita pelo relator do caso no Conselho de Ética, senador Humberto Costa (PT-PE)

Brasília – A votação em plenário do processo a que o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) responde por quebra de decoro parlamentar poderá ser feita apenas no segundo semestre, disse o relator do caso no Conselho de Ética, senador Humberto Costa (PT-PE).

O ministro do Supremo Tribunal Federal Antonio Dias Tóffoli concedeu liminar a Demóstenes e determinou o adiamento por pelo menos três dias úteis da votação do processo, inicialmente marcada para hoje (18) à tarde.

“A defesa conseguiu o que pretendia: protelar a decisão do Conselho, o que não é o desejo do Senado nem da sociedade. Ainda há prazo [para votar antes do recesso parlamentar], mas se outras medidas protelatórias vierem, corremos o risco de votar o processo só no segundo semestre”, disse.

Com a liminar, o relator fará apenas a leitura de seu relatório na reunião de hoje. A divulgação do voto e sua análise serão feitas posteriormente. “No conselho, no máximo na segunda-feira [25], votaremos”,
acrescentou.

Demóstenes é investigado por manter relações próximas com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Preso em Brasília, o empresário é investigado pela Polícia Federal por envolvimento com jogos ilegais.