Vítima de acidente diz que não foi procurada pela Tuiuti

A fotógrafa também disse não foi intimada pela Polícia Civil para depor sobre o caso nem para fazer exame de corpo de delito

Rio de Janeiro – Uma das vítimas do acidente com o carro alegórico da escola de samba Paraíso do Tuiuti, a fotógrafa Ana Cláudia Fernandes, disse que até esta quinta-feira, 2, nem a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) nem a agremiação entraram em contato com ela para prestar auxílio.

Ana Cláudia também disse não foi intimada pela Polícia Civil para depor sobre o caso nem para fazer exame de corpo de delito.

A vítima decidiu, por conta própria, registrar o acidente nesta tarde, na 6ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova), na região central da capital fluminense.

“Ninguém da escola até agora me procurou. Não estou pedindo um favor, estou querendo o que é meu direito. Eu estava trabalhando, sou freelancer e preciso pagar minhas contas. Não sei por quanto tempo vou ficar parada”, disse a fotógrafa.

“Vim hoje fazer o registro de ocorrência por conta própria. Estou preocupada porque até agora não fiz exame de corpo e delito. Como vai ser se eu não tiver um laudo técnico? É como se eu não tivesse sido acidentada naquele momento.”

Ela também contou como foi o acidente.

“Estava na frente do carro fotografando o destaque, quando começaram a gritar muito para o carro se movimentar e ele não foi devagar. Deslizou para o meu lado direito, já imprensando as pessoas. Quando vi que tinham várias pessoas acidentadas, andei para o outro lado, achando que estava segurae, nesse momento, o carro veio para a minha direção. Por muito pouco eu não estava morta”, disse a fotógrafa.